A Nova Ordem Mundial, as mulheres e a igreja


por Rev. Jucelino Souza</strong>

O bilionário Richard Branson e Nelson Mandela, um conhecido marxista pró-aborto e pró-homossexualismo, lançaram uma campanha internacional contra as igrejas cristãs que se recusam a ordenar mulheres em suas lideranças. Para sua campanha, eles convocaram os “Anciões” (http://www.theelders.org), um grupo formado por doze ex-líderes mundiais que trabalham juntos para promover a paz e os “interesses comuns da humanidade”, e para lutar contra o sofrimento humano.

Comentários
  1. RUTH diz:

    MAIS..UM INDICIO QUE CRISTO ESTÁ AS PORTAS
    É HORA DE REMIR O TEMPO…O ANTICRISTO ESTA TRABALHANDO,E SEU ESPIRITO MALIGNO INFESTANDO O MUNDO E “IGREJA EVANGÉLICA”
    MAS AQUELE QUE É DO SENHOR,O MALIGNO NÃO LHE TOCA.NEM É ENGANADO

    E FIXEMOS NOSSOS OLHOS NO ALTO.ONDE REALMENTE
    É O NOSSO LAR ETERNO!!!

  2. O SÉTIMO DIA
    (DN.4.2) Pareceu-me bem fazer conhecidos os sinais e maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo,; (EF.2.7) para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça em bondade para conosco em Cristo Jesus; (1CO.15.45) pois assim está escrito:
    (GN.2.3) – E ABENÇOOU DEUS O DIA SÉTIMO, E O SANTIFICOU; PORQUE NELE DESCANSOU DE TODA A OBRA QUE, COMO CRIADOR, FIZERA: (AR.85.6)
    E o que o Senhor quer dizer com as 85 letras e 6 sinais acima é isto:
    SOU O ESPÍRITO QUE DESCEU DO CÉU, CRIANDO A SUA FÉ; E FAÇO SANTO O QUE É BATIZADO COM NOME DE ARNALDO RIBEIRO: (IL.85.6)
    (Lc.12.50 – Tenho, porém, um batismo com o qual hei de ser batizado; e quanto me angustio até que o mesmo se realize; (IS.21.16) porque assim me disse o Senhor: (1RS.18.31) Israel será o teu nome, (LS..9.6) porque ainda que algum seja consumado entre os filhos dos homens, se estiver ausente dele a tua sabedoria, será reputado como nada.(LC.4.21) Hoje se cumpriu a escritura que acabais de ouvir: (LC.6.5) O Filho do Homem é Senhor do sábado:
    E agora José? Ou melhor, Chico?…

  3. AQUI ESTÁ A RESSURREIÇÃO DE CRISTO E A CONSEQUENTE CONSUMAÇÃO DA ESPERANÇA:
    (AT.4.33) COM GRANDE PODER OS APOSTOLOS DAVAM O TESTEMUNHO DA RESSURREIÇÃO DO SENHOR JESUS, E EM TODOS ELES HAVIA ABUNDANTE GRAÇA: (JB.6.40) DE FATO A VONTADE DE MEU PAI É QUE TODO HOMEM QUE VIR O FILHO E NELE CRER, TENHA A VIDA ETERNA, E EU O RESSUSCITAREI NO ÚLTIMO DIA: (2CO.10;7) OBSERVAI O QUE ESTÁ EVIDENTE:
    (IS.66.5) Ouvi a palavra do Senhor, vós que temeis a palavra do Senhor;(AM.5.4) pois assim diz o Senhor à Casa de Israel: Buscai-me e vivei: (JR.30.24) Nos últimos dias entendereis isto:(AP.9.6) Naqueles dias os homens buscarão a morte e não a acharão, também terão ardente desejo de morrer, mas a morte fugirá deles: (LC.6.27) Digo-vos, porém, a vós outros que me ouvis: (LC.12.32) Não temais, ó pequenino rebanho, porque o vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino: (JB.10.11) Eu sou o bom Pastor: O bom Pastor dá a vida pelas ovelhas: (JB.10.28) Eu lhes dou a vida eterna, jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão; (IS.30.12) pelo que assim diz o Santo de Israel:
    Enquanto o Brasil dormia o profundo sono da inconsciência DEITADO ETERNAMENTE EM BERÇO ESPLÊNDIDO, o meu povo padecia na BABILÔNIA, vegetando sob o jugo do pecado da MENTIRA, da DESORDEM, e do REGRESSO: Mas, ao acordarmos em JERUSALÉM, irmanados pelo poder do Amor Eterno, eis que deparamo-nos com o caminho da VERDADE, da ORDEM, e do PROGRESSO: E, agora, já podemos cantar que verdadeiramente NÃO TEMEREMOS A PRÓPRIA MORTE: E o pavilhão nacional também já passou a tremular consagrado soberanamente para ostentar os símbolos da vitória da nossa fé: LOUVADO SEJA DEUS:
    (TG.2.8) Se vós, contudo, observais a Lei Régia segundo a escritura:(HB.10.15) Disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto Este diz: (1CO.15.18) Os que dormiram em Cristo, pereceram: IS.16.14) Agora, porém,
    Ele fala e diz: (AP.22.13) Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim (JB.10.30) Eu e o Pai somos Um: (GN.31.11) Eis-me aqui: (JB.10.10) Eu vim para que tenhais vida, e a tenham em abundância, (HB.2.15) e para livrar a todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida: (MT.24.4) Vede que ninguém vos engane, (CL.3.3) porque morrestes, e a vossa vida estava oculta juntamente com Cristo em Deus: (DT.29.4) Porém o Senhor não vos deu coração para entender, nem olhos para ver, nem ouvidos para ouvir até ao dia de hoje; (SL.106.33) pois foram rebeldes ao Espírito de Deus, e Moisés falou irrefletidamente: (HB.2.1) Por esta razão, importa que nos apeguemos com mais firmeza às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos:
    (RM.5.5) Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi outorgado: (RM.10.11) Todo aquele que nele crê não será confundido: (JB.19.30) Está consumado! (AT.2.32) A Este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas: (MT.26.54) Como, pois, se cumpririam as escrituras, segundo as quais assim deve suceder?(RM.8.24) Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que Alguém vê, como o espera? (2SML.22.47) Vive o Senhor, e bendita seja a minha rocha! Exaltado seja o meu Deus, a rocha da minha salvação!
    (SL.32.11) Alegrai-vos no Senhor, e regozijai-vos, ó Justos, exultai, todos vós que sois retos de coração: (2PE.1.2) Graça e paz vos sejam multiplicadas , no pleno conhecimento de Deus e de Jesus Nosso Senhor:
    Estudai, praticai e divulgai os fundamentos cristãos que temos postado na internet, em particular no BLOG DE ARNALDO RIBEIRO OU ISRAEL :
    (JB.19.5) Eis o Homem!(IS.42.21) Foi do agrado do Senhor, por amor da sua própria justiça, engrandecer a lei, e fazê-la gloriosa; (1CO.15.45) pois assim está escrito:O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente, o último Adão, porém, é Espírito vivificante; (1CO.15.21) visto que a morte veio por um homem, também por um Homem veio a ressurreição dos mortos; (1CO.15.22) porque assim como, em Adão todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo:
    (AT.10.36) Esta é a palavra que Deus enviou aos Filhos de Israel, anunciando-lhes o Evangelho da paz, por meio de Jesus Cristo. Este é o Senhor de todos: (SL.130.8) É Ele quem redime a Israel de todas as suas iniquidades: (IS.5.2) Ele esperava que desse uvas boas, mas deu uvas bravas: (LC.20.13) Então disse o dono da vinha: (PV.23.15) Filho meu, se o teu coração for sábio, alegrar-se-á também o meu: (GN.46.4)Eu descerei contigo para o Egito, e te farei subir, certamente: (ÊX.32.7) Agora vai, desce; porque o teu povo, que fizeste sair do Egito, se corrompeu; (ÊX.3.9) pois o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e também vejo a opressão com que os egípcios os estão oprimindo:(FL1.12) Eu to envio de volta em pessoa, quero dizer , o meu próprio coração: (EZ.30.19) Assim executarei juízo no Egito, e saberão que sou o Senhor;(EF.2.7) para mostrar nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça em bondade para conosco , em Cristo Jesus:
    (DN.12.2) Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno: (RM.14.9) Foi precisamente para esse fim, que Cristo morreu e ressurgiu, para ser Senhor tanto de mortos como de vivos: (PV.1.7) O temor do Senhor é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino: (HB.1.30) Ora, nós conhecemos Aquele que diz: A mim pertence a vingança: Eu retribuirei; (LS.1.15) porque a justiça é perpetua e imortal:

    (CT.) C A N T A R E S : D E S A L O M A O
    (AR.17.2)

    Por inspiração divina, um brasileiro já cantava assim:

    VEM VAMOS EMBORA QUE ESPERAR NÃO É SABER: QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECERR…

    E para descontrair acatemos a sugestão escondida na parábola acima, qual seja:

    S E R M Ã O D E S O L A : C A N T A
    (IL.17.2)

  4. A MORTE DE UM REI IMORTAL:
    (MT.23.1) Então, falou Jesus às multidões e aos discípulos, (EX.1.16) Dizendo: (JB.12.23) É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem: (MT.15.10) Ouvi e entendei: (JB.3.27) O Homem não pode receber cousa alguma se do céu não lhe for dada: (EC.37.28) A vida do Homem se encerra num certo número de dias; porém os dias de Israel são inumeráveis: (AT.20.10) Não vos perturbeis, que a vida nele está; (JB.5.26/27) porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo; e lhe deu autoridade para julgar, porque é o Filho do Homem:(LC.13.27) Mas ele vos dirá: (JB.10.28) Eu lhes dou a vida eterna: (GL.2.20) Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim: (RM.6.19) Falo como Homem, por causa da fraqueza da vossa carne: (JÓ.33.2) Passo agora a falar, em minha boca fala a minha língua:
    Agora que o meu corpo já se curva sob o peso da idade, e já não dispondo de visão ocular suficiente para este Trabalho; penso que já é hora de retornar para a casa do nosso Pai Eterno, pois sinto que já estou pronto para voar rumo à glória infinita; (LC.22.37) pois vos digo que importa que se cumpra em mim o que está escrito:
    (JB.5.41) Eu não aceito a glória que vem dos homens, (SL.78.22) porque não creram em Deus, nem confiaram na sua salvação: (SL.14.3) Todos se extraviaram e juntamente se corromperam, não há quem faça o bem, não há nem um sequer: (JÓ.9.24) A terra está entregue nas mãos dos perversos, e Deus ainda cobre o rosto dos juízes dela; ((IS.5.23) os quais por suborno justificam o perverso, e ao justo negam justiça!(2PE.2.3) Também, movidos por avareza, farão comércio de vós com palavras fictícias: Ex.: IRRESIGNAÇÃO: Para eles, o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme:(LE.3.17) Então, disse comigo: (IS.14.14) Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo; (SL.18.22) porque todos os seus juízos me estão presentes, e dos seus estatutos não me desviei:
    (SL.122.1) Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor(1PE.4.7) porque a ocasião de começar o juízo pela Casa de Deus é chegada: (EC..41.5) Não temas o decreto da morte: Lembra-te de todos aqueles que foram antes de ti e dos que virão depois de ti; este é um decreto que o Senhor pronunciou contra toda a carne: (JÓ.5.26/2) Em robusta velhice entrarás para a sepultura, como se recolhe o feixe de trigo a seu tempo; (1SML.12.17) não é agora o tempo da sega do trigo?
    (DT.10.12) Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor requer de ti? (SL.74.18) Lembra-te disto: (LC.2.26) Revelara-lhe o Espírito Santo que não passaria pela morte, antes de ver o Cristo do Senhor: (GN.15.13) Então lhe foi dito: (EZ.2.3)) Filho do Homem, eu te envio aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se insurgiram contra mim, eles e seus pais prevaricaram contra mim até precisamente ao dia de hoje: Os filhos são de duro semblante e obstinados de coração, eu te envio a eles e lhes dirás: (ÊX.3.14) Eu sou o Senhor que me enviou a vós outros, (JD.1.15) para exercer juízo contra todos e para fazer convictos os ímpios de todas as obras impias que impiamente praticaram, e acerca de todas as palavras insolentes que ímpios pecadores proferiram contra ele:: (Z.39.22) Desse dia em diante os da casa de Israel saberão que eu sou o Senhor seu Deus: (PV.1.23) Atentai para a minha repreensão, eis que derramarei copiosamente para vós outros o meu Espírito e vos farei saber as minhas palavras; (JB.6.45) e serão todos ensinados por Deus: (SL.1.5) Por isso, os perversos não prevalecerão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos;(EZ.12.24) porque já não haverá visão falsa nenhuma, nem adivinhação lisonjeira, no meio da Casa de Israel: (JB.20.22) Recebei o Espírito Santo:
    (DT.29.25) ) Então se dirá: LC.19.9) Hoje houve salvação nesta casa; (LC.19.10) porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido: (DT.5.24) Hoje vimos que Deus fala como o Homem, e este permanece vivo; (LS.2.23) porquanto Deus criou o Homem inexterminável, e o fez à imagem da sua semelhança:(TG.2.23) E se cumpriu a escritura a qual diz: (1CO.15.54) Tragada foi a morte pela vitória: (1JB.5.4) E esta é a vitória que vence o mundo: A nossa fé: (JB.15.13) Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos: (EC.11.24) A benção de Deus se apressa a recompensar o justo, e numa rápida hora o faz crescer (LC.22.69) Desde agora estará sentado o Filho do Homem à direita do Todo-Poderoso Deus:
    (JB.8.19) Eis em que deu a tua vida! E do pó brotarão outros; (LS.3.11) porque desgraçado é o que rejeita a sabedoria e a instrução, e a esperança deles é vã e os trabalhos sem fruto, e inúteis as suas obras: (JÓ.4.20) Nascem de manhã e à tarde são destruídos, perecem para sempre, sem que disto se faça caso:(JB.5.44) Como podeis crer, vós os que aceitais glória uns dos outros, contudo, não procuram a glória que vem do Deus único?(EC.32.20) Aqueles que temem ao Senhor conhecerão o que é justo, e farão luzir as suas boas obras como farol: (OS.14.9) Quem é sábio, que entenda estas cousas; quem é prudente que as saiba; porque os caminhos do Senhor são retos e os justos andarão neles, mais os transgressores neles cairão: (AP.22.11) Continue o injusto fazendo injustiça, o imundo ainda sendo imundo;o justo continue na pratica da justiça, e o Santo continue a santificar-se…
    .

  5. D I V I N A C O N V O C A Ç Ã O
    (MC.12.10) AINDA NAO LESTES ESTA ESCRITURA:(SL.108.7) DISSE DEUS NA SUA SANTIDADE: (ÊX.4.22) ISRAEL É MEU FILHO, MEU PRIMOGÊNITO; (IS.49.3) POR QUEM HEI DE SER GLORIFICADO: (IS.30.12) PELO QUE ASSIM DIZ O SANTO DE ISRAEL:
    Todo Cristão desperto deve ingressar no ciclo da Nova Ordem Mundial, que chega com a criação do Reino de Deus na terra:
    (MT.25.34) VINDE, BENDITOS DE MEU PAI! ENTRAI NA POSSE DO REINO QUE VOS ESTÁ PREPARADO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO: (JB.6.27) TRABALHAI, NÃO PELA COMIDA QUE PERECE, MAS PELA QUE SUBSISTE PARA A VIDA ETERNA, A QUAL O FILHO DO HOMEM VOS DARÁ; PORQUE DEUS, O PAI, O CONFIRMOU COM O SEU AMOR: (IS.42.21) FOI DO AGRADO DO SENHOR, POR AMOR DA SUA PRÓPRIA JUSTIÇA, ENGRANDECER A LEI E FAZE-LA GLORIOSA; (LC.12.32) PORQUE O VOSSO PAI SE AGRADOU EM DAR-VOS O SEU REINO; (1CO.15.45) POIS ASSIM ESTÁ ESCRITO: (JB.14.17) O ESPIRITO DA VERDADE, QUE O MUNDO NÃO PODE RECEBER, PORQUE NAO NO VÊ, NEM O CONHECE; VÓS O CONHECEIS, PORQUE ELE HABITA CONVOSVO E ESTARÁ EM VÓS; (PV.1.4) PARA DAR AOS SIMPLES PRUDÊNCIA, E AOS JOVENS CONHECIMENTO E BOM SISO; (1PE.4.17) PORQUE A OCASIÃO DE COMEÇAR O JUIZO PELA CASA DE DEUS É CHEGADA:
    (RM.13.11) E DIGO ISTO A Vós OUTROS QUE CONHECEIS O TEMPO, QUE JÁ É HORA DE VOS DESPERTARDES DO SONO; (2PE.3.4) PORQUE, DESDE QUE OS PAIS DORMIRAM, TODAS AS COUSAS PERMANECIAM COMO DESDE O PRINCIPIO DA CRIAÇÃO: (HB.5.11) A ESSE RESPEITO TEMOS MUITAS COUSAS QUE DIZER E DIFICIL DE EXPLICAR; PORQUANTO VÓS TENDES TORNADO TARDIOS EM OUVIR: (LC.16.9) E EU VOS RECOMENDO: Estudai e praticai os fundamentos cristãos, que temos divulgado através da internet, em particular no blog de Arnaldo Ribeiro ou Israel e no Site: arnaldoouisrael: (TB.5.21) FAZEI BOA JORNADA, E DEUS SEJA CONVOSCO NO VOSSO CAMINHO, E O SEU ANJO VÁ EM VOSSA COMPANHIA:

  6. (JR.5.21) Ouvi agora isto, ó povo insensato que tendes olhos e não vedes, tendes ouvidos e não ouvis; (1TS.4.3) pois esta é a vontade de Deus: A vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; (LS.1.12/13) porqu Deus não fez a morte, nem se alegra na perdição dos vivos: Não queirais buscar ansiosos a morte, no descaminho da vossa vida, nem adquirais a perdição com as obras das vossas mãos:
    (HC.2.19) Ai daquele que diz ao pau: Acorda! E à pedra muda: Desperta! Pode o ídolo ensinar? Eis que está coberto de ouro e de prata, mas no seu interior não há fôlego nenhum: (AT.3.15) Dessarte, matastes o Autor da Vida, a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas: (JB.7.48) Porventura creu Nele alguém dentre as autoridades, ou algum dos fariseus? (RM.3.3) E daí? Se alguns não creram, a incredulidade deles virá desfazer a fidelidade de Deus? (JB.3.23) Ora, o seu mandamento é este: (MC.12.33) Amar a Deus de todo o coração, de todo o entendimento e de toda a força, e amar ao próximo como a si mesmo:
    (JB.4.23) Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores: (LS.19.23) E há quem fala francamente e não diz senão a verdade, (RM.4.3) pois que diz a escritura? (JB.4.24)Deus é Espírito;e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade, (RM.1.20) porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade; claramente se reconhecem desde o principio do mundo, sendo reconhecidos pelas cousas que foram criadas:
    (HB.11.1) Ora, a fé é a certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que não se vêem: ((SL.100.3) Sabei que o Senhor é Deus, foi Ele quem nos fez e Dele somos; somos o seu povo e o rebanho do seu pastoreio: (CL.3.23/24) Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como sendo para o Senhor, e não parta homens; cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança: A Cristo, o Senhor, é que estais servindo; (DT.1.38) porque Ele fará com que Israel a receba: (SL.32.11) Alegrai-vos no Senhor e regozijai-vos, ó Justos, exultai-vos, todos que sois retos de coração; (1TS.3.8) porque agora vivemos, se é que estais firmes no Senhor: (1cO.15.38) Portanto, amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e abundantes na Obra do Senhor, Sabendo que no Senhor o vosso trabalho não é vão:
    (LE.12.13) De tudo o que se tem ouvido a suma é: Temei a Deus e guardai os seus mandamentos;porque isto é dever de todo Homem: (JR.21.8) Eis que ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte: (JB.14.6) Eu sou o caminho a verdade e a vida: (LV.19.4) Não vos virareis para os ídolos, nem vos fareis deuses de fundição: Eu sou o Senhor Vosso Deus: (IS.41.4) Quem fêz e executou tudo isto?(DT.27.26) Maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei, não as cumprindo: (IS.46.8) Lembrai-vos disto e tende ânimo, ó prevaricadores; (LS.14.12) porque o culto aos ídolos é o princípio da corrupção da vida:
    (AT.3.17) Agora, Irmãos, Eu sei que o fizestes por ignorância, como também as vossas autoridades; (IS.9.16) porque os Guias deste povo são enganadores, e os que Por eles são dirigidos, são devorados:(TG.121) Portanto, despojando-vos de toda impureza e acumulo de maldade; acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma:

  7. ALEGREI-ME QUANDO ME DISSERAM
    (SL.122.1)

    TEU LIVRO
    (A Bibliogênese de Israel que se estende e se consolida via internet)

    Querido Irmão Arnaldo Ribeiro:

    Agora perpetuamos a nossa existência na terra, legando vida espiritual aos irmãos encarnados, pelo livro que estás escrevendo juntamente conosco, graças a tua Providência Divina.

    Cada dia é uma página…

    Cada hora é uma afirmação de tua personalidade, através das pessoas e das situações que te buscam.

    Não menosprezes o ensejo de criar uma epopéia de amor em torno de teu nome.

    As boas obras são frases de luz que endereças à Humanidade inteira.

    Em cada resposta aos outros, em cada gesto para com os semelhantes, em cada manifestação dos teus pontos de vista e em cada demonstração de tua alma,grafas com tinta perene, a história de tua passagem.

    Nas impressões que produzes, ergue-se o livro dos teus testemunhos.

    A morte é a grande colecionadora que recolherá as folhas esparsas de tua biografia,gravada por ti mesmo, nas vidas que te rodeiam.

    Não desprezes a companhia da indulgência, através da senha que o Senhor te deu a trilhar.

    Faze uma área de amor ao redor do próprio coração, porque só o amor é suficientemente forte e sábio para orientar-te a escritura individual, convertendo-a em compêndio de auxílio e esperança para quantos te seguem os passos.

    Vive com Jesus, na intimidade do coração, não te afastes d’Ele em tuas ações de cada dia e o livro de tua vida converter-se-á num poema de felicidade e num tesouro de bênçãos.

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/teu-livro/#ixzz1luanFdDP

  8. A NOVA ERA: SÃO CHEGADOS OS TEMPOS

    VIVA JESUS!

    Boa-tarde! queridos irmãos.

    “Na concessão genésica da mudança, estará sempre presente a base moral, intelectual e espiritual.” – Cravo.

    O Espiritismo é acima de tudo mais do que uma Filosofia, Religião e Ciência. É o Consolador prometido e tem em si uma concepção de consolidação dos valores da vida e lucidez de conceitos, permitindo-nos desmistificar e esclarecer todo e qualquer fenômeno, retirando-lhe o acaso de circunstância, o sobrenatural e o milagre, justificando-o pela razão e o bom senso. Essa mesma razão ressalta de um Código de Esclarecimento, que nos foi legado pelos Espíritos Superiores e descodificado por Allan Kardec, e tendo como exemplo o Mestre Jesus.

    Existe uma parte da Humanidade que, assumida pela materialidade, se entrega ao Niilismo, logo, à negação de Deus e de tudo o que se lhe consagra. Tudo acaba aqui para eles! Mas se eles pensam dessa forma, existem também os que, acreditando N`Ele, o tomam a seu jeito e ideologia, acreditando num céu e Inferno, e mesmo alguns Irmãos, sendo espíritas, se sentem dúbios e entendem que a vinda dos novos tempos será a mudança do Mundo na sua materialidade, na sua concessão física, e que o ano já lhe está consagrado!? Mas isso é puro engano. Os novos tempos são chegados, mas numa visão que nada tem de catastrófica como se faz crer pelas assertivas da alusão à letra das Sagradas Escrituras.
    Será que o Mundo vai acabar? É o juízo final? Mas, se somos diferentes, para onde vamos?

    No livro Obras Póstumas, de Allan Kardec, numa das comunicações sobre a Regeneração da Humanidade, extrai-se isto:

    “Todas as Escrituras encerram grandes verdades, sob o véu da alegoria, e extraviaram-se os comentadores que ficaram restritos à letra. Faltou-lhes a chave para compreender o verdadeiro sentido, a qual está nas descobertas da ciência e nas leis do mundo invisível que o Espiritismo veio revelar. Doravante, com o auxílio desses novos conhecimentos, o que era obscuro se tornará claro e inteligível”. (25 de abril de 1866. Paris. Resumo das comunicações transmitidas pelos Srs. M… e T… em estado sonambúlico.)

    A Doutrina Espírita veio trazer lucidez a estas mudanças. Vamos fazer uma visão espírita da “Gênese dos Novos Tempos”.

    A gênese dos novos tempos – Em mensagem transmitida em 1862, constante de O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, o Espírito de Verdade observa: “Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade”.

    Nós diremos que decorrem os processos da transformação, indo ao encontro dos novos tempos e que em nada irão derrogar a Lei, mas apenas dar-lhe sequência, pois a Lei do Progresso, tal como todas as Leis de Deus, é imutável e infinitamente justa.

    A Terra é um planeta de provas e expiações. Na verdade, o seu habitat tem na sua gênese um plano onde o mal suplanta o bem, pois o orgulho e o egoísmo são fatores acentuados em todo o Orbe e, claro, daí o espectro das dores e aflições anunciadas. No entanto, estas mesmas dores não podem ser vistas como mau augúrio, mas sim, como a preparação para dias melhores.

    Podemos dizer que a gênese dos novos tempos tem alguns polos estruturais para que ela restabeleça a ordem da disposição moral, intelectual e espiritual, de forma a fazer vencer a nova era. São: Reencarnação, Reforma Íntima e Reforço Espiritual.
    Reencarnação – Ao contrário do que se possa pensar, não será a Terra a mudar, mas o seu espaço fluídico moral. A Terra fisicamente se altera pelos elementos que a compõem, mas o estágio evolutivo de mudança são os Espíritos que o fazem, no uso natural do seu livre-arbítrio.

    A Reencarnação é ponto vital da viragem, como?! Através da emigração e imigração dos Espíritos, será esta mesma confluência de idas e voltas que renovará a estância terrena, onde todos terão as mesmas oportunidades, mas só aqueles que progredirem o seu status moral assimilarão os novos tempos. Se juntarmos a esta situação os flagelos, onde se faz a aglutinação de uma determinada moldagem de Espíritos, tendo com isso o interesse de apressar o resgaste dos valores morais, e, levando em conta que o aprendizado se faz pelas várias experiências, tem enorme relevo porque permite o progresso social.

    Após esses choques que dizimam populações, observam-se modificações nas ideias de uma comunidade e de uma raça, isto pela ativação progressiva de Espíritos encarnados e deencarnados. Allan Kardec, Cap. XVIII – Sinais dos Tempos: Item 34, nos diz acerca dessa situação: “Opera-se um desses movimentos gerais destinados a realizar uma remodelação da humanidade”.

    Reforma íntima – Aliado a este fator da reencarnação e de influenciação para a vinda de novos tempos, a reforma íntima: “O progresso material de um planeta acompanha o progresso moral de seus habitantes (…)”. (no item 27, A Gênese, de Allan Kardec, cap. XI.)

    O progresso de qualquer estágio passa pela reforma interior de cada Ser porque, mudando as mentalidades, se mudam os meios.

    E falando dos meios, temos que ter em conta o livre-arbítrio, as opções escolhidas e como as colocar em prática.
    Passados vinte séculos, ainda existe muito antagonismo religioso, político e social.

    O homem foi moldado pela ação inquisitória do medo, revolta, egoísmo, orgulho e ignorância. A falta de equilíbrio social, as diferenças, o ciúme e a inveja tomaram-lhe o pensamento e o têm feito peregrinar pela expiação e provação, mas as almas encontram aí a chave para a mudança! Como? Simplesmente pela necessidade de compartilhar, de se entreajudar, de valorizar as pequenas coisas em detrimento das maiores e fazer comungar a necessidade de se amarem mutuamente sem preconceitos, pois começa a aperceber-se de que todos precisam uns dos outros e que os valores do amor passam pelo respeito pelo próximo, pela fraternidade e solidariedade. Isto é reforma íntima, e o Espiritismo tem na sua Filosofia todas as respostas para o encadeamento da sua esperança futura pelo Evangelho redivido, não pelas meras palavras, mas pelas ações.

    Todos já notamos os inúmeros grupos humanitários de apoio que se formaram, quer para defender o ambiente, quer as pessoas e os Países. O espaço cívico eclodiu, todos se estão a unir para fins de grandeza e cumplicidade no amor, sinal concreto de progresso, porque só a fraternidade moldará uma ordem social justa que, apoiada numa fé raciocinada, diluirá anátemas de toda a ordem, pois só o amor fará mudar e, logicamente, evoluir.
    Bibliografia:

    Obras Póstumas, de Allan Kardec. (25 de abril de 1866. Paris. Resumo das comunicações transmitidas pelos Srs. M… e T… em estado sonambúlico.)

    Obra A Gênese, de Allan Kardec. Cap. XI; XVIII.

    Obra O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec.

    Obra O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec.

    Joanna de Ângelis. (Pág. psicog. pelo médium Divaldo Pereira Franco, 30 de julho de 2006, no Rio de Janeiro, RJ.)

    Ninguém ficará para trás, mas cada um terá que fazer a sua parte. – Cravo.

    Victor Passos

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/a-nova-era-sao-chegados-os-tempos/#ixzz4A4wKR7t3

  9. AFORMOSEAMENTO DO ESPÍRITO

    A “mediunidade com Jesus” é concedida àqueles que se esforçam por vivenciarem o Amor, que se entregam ao serviço de servir ao próximo, que buscam remover das entranhas da alma as imperfeições morais, mediante o esforço constante de burilar as mazelas íntimas, diluindo-as, à medida em que consolida – gradativamente – as bem-aventuranças, conforme o Mestre Jesus expôs no Sermão da Montanha.

    No trabalho mediúnico de qualidade é fundamental a sintonia com a Luz inapagável, apresentando-se os medianeiros com o propósito de auxiliar com devotamento aos irmãos de caminhada evolutiva, desenvolvendo a alegria de serem médiuns do Bem, mesmo quando as lágrimas estiverem presentes, porque é essencial esse posicionamento que possibilita “interiorizar” o desejo de servir incondicionalmente.

    Nos tempos atuais encontramos muitos médiuns trabalhando anonimamente nos laboratórios mediúnicos dos Centros Espíritas, servindo de forma incansável sob o amparo de Benfeitores Espirituais, amenizando as dores de obsessores e obsidiados, libertando fascinadores e fascinados, alforriando subjugadores e subjugados com muito carinho, paciência e determinação, e enquanto aliviam os sofrimentos de desencarnados e encarnados, também emancipam-se de suas próprias dores e sofrimentos.

    O nosso Brasil atravessa dores coletivas, o povo está exausto de lutar pela sobrevivência, amarga um nível de desemprego que ultrapassa a alarmante cifra de 12 milhões, as preocupações avultam-se, as dívidas crescem, o desespero dessas famílias tem desequilibrado muitos lares, razões pelas quais cabe-nos o dever de auxiliar para que os cidadãos tranquilizem-se, retornando a sociedade à normalidade.

    Como auxiliar nossa Pátria nesse tempo de crise política e econômica?
    O caminho para a recomposição do equilíbrio e da harmonia social passa pela paciência com que enfrentamos a problemática citada.
    O que precisamos fazer para resolver a “crise moral nacional”?
    É preciso exemplificarmos condutas morais elevadas, mudar nossa “cultura de ausência de firmeza” para com certos comportamentos considerados indesejáveis em nossa coletividade, como por exemplo as permissividades morais para com a corrupção e lavagem de dinheiro, pressionarmos para que os governantes dêem exemplos de dignidade.

    Em tempos de crises, como esta que varre o território nacional, devemos recorrer à oração diária, solicitando à Espiritualidade Superior inspirar-nos e intuir-nos para que tenhamos ideias e pensamentos que nos auxiliem a movimentarmos esforços morais, para encontrarmos soluções que nos ajudem a vencer as dificuldades éticas, que se nos apresentam nas condutas diárias.

    Esses contratempos, contrariedades, aborrecimentos e desgostos estão previstos como desafios existenciais, convidando-nos a busca das alternativas possíveis para sairmos do comodismo que se instalou em nossa intimidade e, por consequência, na vida da sociedade.

    Assim como o temporal provoca com seus ventos estragos e as inundações levam ao desespero muitas criaturas humanas, as crises políticas e econômicas atingem com a “recessão” outros milhares de seres humanos, todos – sem exceção – sendo convidados pelas Leis Sublimes da Vida a lembrarem-se de Deus, a desenvolverem a esperança, a cultivarem resignação, burilar o orgulho milenar, desbastar o egoísmo multisecular, ajudando-nos a compreender que a nossa indiferença para com o sofrimento de nossos irmãos sinaliza-nos o endurecimento de nossos corações e o descaso com que temos nos posicionado com relação aos ensinamentos de Jesus – Modelo e Guia da Humanidade.
    Essa crise brasileira tem sido necessária para permitir ao povo brasileiro conscientizar-se de suas responsabilidades morais para com o destino de nossa Pátria, que no dia de amanhã – 07 de setembro de 2016 – comemora a independência do Brasil.

    Todavia, continuamos reféns de imensas dívidas contraídas no cenário internacional pelos nossos representantes políticos que, infelizmente, não souberam aplicar corretamente esses recursos para possibilitar o crescimento da sociedade, o desenvolvimento econômico, porque os interesses pessoais, de classes, de grupos partidários interferiram intensivamente, causando desperdícios, fomentando outras crises que se apresentaram e não foram devidamente equacionadas.

    Como ilustração do que estamos nos referindo, mencionamos os problemas relacionados com os Fundos de Pensão, que identificados trazem prejuízos para os aposentados, bem como as dificuldades de administração do INSS que exige dos trabalhadores precaverem-se, com aposentadorias complementares, para evitarem futuras dificuldades de sobrevivência digna no amanhã.

    Por estes motivos, que fazem parte de um Planeta de Provas e Expiações, recomendamos aos irmãos reservarem alguns momentos para refletirem e meditarem sobre o conteúdo destas linhas traçadas com singeleza, sobre a necessidade de desenvolverem novas habilidades profissionais, reciclarem-se academicamente, valorizarem os atuais empregos, melhorarem-se eticamente e educarem-se para superarem estas e outras crises que – certamente – apresentar-se-ão, convidando-nos a busca de alternativas e opções que viabilizem a superação das dificuldades presentes, na atualidade, que afligem a sociedade.
    Esses desafios existenciais, previstos pela “Lei de Destruição”, ajuda-nos no desenvolvimento de outros valores intelectivos e morais, que estão adormecidos em nossa intimidade e que necessitam das crises materiais, emocionais e psíquicas para despertar-nos da letargia, incapacidade de reagir e de expressar emoções e sentimentos, estado de profundo e prolongado desinteresse, apatia e inércia, para com o despertamento consciencial, a fim de alcançarmos novos patamares evolutivos, mais rapidamente.

    Quando estamos acomodados, não valorizamos as bênçãos que recebemos diariamente, não agradecemos ao Pai Celestial – generoso e compassivo -, e quando chegam as “crises materiais” que nos alertam para mudanças de qualidades morais que precisamos efetuar, voltamos os nossos pensamentos para o Pai Misericordioso que, através da inspiração e intuição, ajuda-nos a encontrarmos as soluções para com nossos compromissos individuais e coletivos.

    O Planeta Terra é escola abençoada, com disciplinas técnicas-morais, específicas, para que nos tornemos Homens de Bem.

    Após vencidos esses testes de aferições morais, compreenderemos – claramente – as limitações intelectuais, emocionais, morais e espirituais que somos portadores e precisamos superar, dentro do processo evolutivo no qual estamos inseridos.
    Saibamos nos comportar, da melhor maneira possível para adquirirmos os créditos éticos, que a experiência terrena nos tem possibilitado.

    Relembramos que o Mestre Jesus é o Governador Espiritual deste Orbe e só passamos pelas experiências que nos ajudam no aformoseamento do Espírito Imortal.
    Leopoldo
    (Página recebida, psicograficamente, por Renato Mautoni,
    na noite de 06 de setembro de 2016,
    no Instituto Espírita Léon Denis, em Juiz de Fora, Minas Gerais.)
    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/aformoseamento-do-espirito/#ixzz4LHWzHz3A

  10. DA RELIGIÃO À LOUCURA…

    Nos bancos da catequese aprendia-se que a religião não se discute. Este princípio cohabitava com outro igualmente estranho, a saber, a nossa religião é a única verdadeira.
    Em termos práticos, isto significava: Deus não se põe em causa; o binómio fé e não fé eram impensáveis; dúvida e descrença eram sinónimas; proibição da leitura da Bíblia por ser miisteriosa e os seus textos não estarem ao alcance de todos; os ateus são gente do diabo; a Ciência era vista com desconfiança, donde aderir às suas inovações era tido como prática desviante da fé. Tudo era pesado numa balança tendenciosa de moral versus imoral, de tal forma que a religião pensava pelos fiéis, criava normas comportamentais verdadeiramente impraticáveis, excluindo os seus interessses pessoais. O bom crente era aquele que abdicava de si, que pensava exclusivamente no outro, ou quase, sem objectivos particulares.
    Longe da felicidade, a religião era o inferno deste mundo, o pecado que mortificava o desejo de progresso, de prazer, de liberdade, que rebaixava a vida enquanto valor supremo, sacrificando-a em nome de uma panóplia de príncipios criadores de tipos psicóticos perigosos, neuroses que se sedimentaram progressivamente no inconsciente colectivo, facto que, mediante os últimos acontecimentos, prolongou-se até aos nossos dias.
    Assim, verificamos, sem a necessidade de grandes reflexões, que religião e loucura têm sido sinónimas, para os racionalistas, santidade para os seus mais altos dignatários. Iludindo os povos de que em nome de Deus tudo é permitido, na defesa ideológica do grupo religioso, porque transmissor de toda a verdade, inventaram a impunidade num mundo qualquer a que cinicamente chamam reino de deus , onde crêem que vão receber a gratificação pelos seus bons serviços: a desvaloração da vida humana.
    Contra a alucinação (falar em nome de outro, de um grupo, de Deus, imposição das suas próprias convicções e princípios particulares como máximas universais, em casos mais graves, cósmicas), a Razão impõe-se denunciando a estupidificação das mentes; a Tecnologia o conforto, facilitando tarefas. Os povos, inevitavelmente, foram aderindo, rendendo-se às facilidades, ao alívio da força muscular; a Medicina evoluíu, as condições de sobrevivência melhoraram com as vacinas, os antibióticos, a melhoria das condições de higiene impõs-se, veemente. Por outras palavras, o Bem cresceu pela mão da Razão, pelo livre pensamento, coisa que a Religião nunca soube fazer. A Educação, ao alcance de todos, tornou-se objecto de consumo como outra coisa qualquer.
    Hoje, caminha-se para uma autonomia do Estado, face ao religioso, porque a História também amadurece, os cidadãos politizam-se, a laicização torna-se, consequentemmente, uma necesssidade imperiosa, democratizadora do religioso. A Moral, lentamente, regressou às suas origens. É anterior à Religião.
    Contudo, se a Religião teimar em permanecer na intolerância, se continuar a confundir-se com a Fé, prevalecerá não como caminho para Deus, mas uma grotesca, disforme e instável presença no mundo, isto é, está a mais. Infantilizando a fé e remetendo-a para segundo plano, a Religião tem abafado a individualidade do crente na infamante tentativa de o moldar a uma autoridade fictícia, criadora de teologias da dominação, raíz de sofrimentos, de discriminação de toda a ordem, criadora de morais desfasadas, descontextualizadas, imprudentes e mesquinhas. Ou muda e adapta-se às novas vivências, ao emergente progresso do Espírito, grito incessante da procura da Luz, abandonando a omnipotência de um saber que não possui, ou tornar-se-à estéril, pueril, desnecessária porque contrária ao grande objectivo dos homens e das mulheres, a Felicidade, bem como no encontro de ambos rumo a vivências maiores. O mundo é masculino e feminino que, pela sabedoria de um Criador supremo, se atraiem mutuamente.
    A Fé tem poderes e forças que a Religião jamais terá; a Fé transporta montanhas, perdoa, é inerente a todo o ser humano; a Religião é para alguns, aqueles que se lhe subjugam, fracos, acríticos; a Fé é libertadora, remete para a Divindade, a Religião desconhece os caminhos da individualidade.
    Os povos crescem em valores, enfatizam-nos na complexidade histórica das épocas charneira para as suas mudanças; com tudo o que os caracteriza, fez deles lições. Por todo o lado, impõem-se os símbolos, as lutas que os envolveram. Podemos dizer que o mundo é mesmo assim? O tic-tac do relógio existêncial, que nos faz lembrar que o passado vai-se enterrando, dá novos tempos ao tempo. A Religião tem que enterrar as velharias. Já não há herdeiros e tradições porque a Democracia impõe-se como modernidade na partilha de valores em que a cidadania é o mais importante. Religião nâo pode significar colisão.
    A Religião discute-se, quando desvalora a Vida, quando pretende sobrepor-se aos Direitos Humanos, desvalorando-os; quando combate a Liberdade em todos os seus aspectos; quando prega o impraticável; quando os seus representantes não dão exemplo aos fiéis. A Fé é uma graça suprema, é uma força que emana da alma e faz ter coragem para enfrentar o dia que nasce, mas ela é, principal e inevitavelmente, um sopro de Amor para com todo o ser-vivo.
    Um valor supremo, porém, nos era transmitido na catequese: se Deus nos deu a vida, só Ele no-la pode tirar, porque a Vida é o Divino dentro de nós. As religiões não podem manipular a fé, rumando contra a vida. Somos todos irmãos e é como irmãos que temos que aprender a viver, num mundo que chega e sobra para todos. Quando a Religião perceber isto, confundir-se-à com a Fé, e nessa altura será outra coisa, não importa o quê porque será, com toda certeza, uma coisa muito boa.
    A grande questão, a saber, o que é a salvação, vamos salvar-nos do quê, de que devemos fugir para entrar no Reino de Deus, o que é assim tão temeroso e forte que nos pode barrar a sua entrada, não é aflorado.
    Todas são correntes pedagógicas, o que é de revelar, mas ensinaram mediante uma adesão cega aos seus princípios subjugadores. É louvável ensinar a ler e a escrever, se com isso se ensinar a pensar; ensinar Ciências Naturais é extraordinário, desde que seja feita a destrinça entre a Criação segundo o Génesis e a Criação segundo a Ciência; a Arca de Noé e a Evolução das Espécies; a natural extinção de espécies e o surgimento de outras; o tempo de existência da Terra, etc.; ensinar a diferença entre a explicação científica e a proclamação bíblica.
    O sabe tudo religioso não pode ser um substituto do pouco saber da Ciência, que rejeita o não provado, nem o colocar de alguma questão fora do ram-ram estupificador dos bonzinhos, dos pobrezinhos e dos aleijadinhos ser uma tentação do demónio, o a riqueza fonte de vícios, o conforto luxo pecador.
    Tudo isto perdurou, numa sociedade que cresce tecnologicamente a um ritmo avassalador, com a Ciência a impor a força da Razão, num ambiente de liberdade sexual, onde o prazer é partilhado e não mais a subjugação de um sexo perante o outro, numa luta sem tréguas, ainda, pela laicização do Estado, o grande cavalo de batalha das democracias ocidentais.
    Se o religioso não arrepiar caminho, não abandonar a arrogância, não se empenhar na modernidade, se rejeitar que vivemos num mundo de diferentes, pluralista, multicor, iremos todos desaparecer absorvidos pela opressão, pelo terror e pelo impulso dos instintos; mas antes, porém, seremos levados, inevitavelmente, à loucura, na luta instintiva pela sobrevivência em vez de na procura da santidade na prática virtuosa do Bem. Somos todos hindus, muçulmanos, judeus e cristãos. Ora nascemos num lado, ora no outro do planeta, porque a Fé é transversal a todos. Se a Religião não começar a ensinar a amar, e rapidamente, estaremos perdidos. Que Deus tenha piedade de nós.

    Margarida Azevedo

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/da-religiao-a-loucura/#ixzz4OlOxEb4x

  11. A POTÊNCIA DO AMOR – Por Einstein

    Fragmento da última carta de Einstein à sua filha Lieserl!

    O Amor…

    Quando propus a teoria da relatividade, muito poucos me entenderam, e o que lhe revelarei agora para que o transmita à humanidade, também se chocará contra a incompreensão e os preconceitos do mundo.

    Peço-lhe mesmo assim, que o guarde o tempo todo que seja necessário, anos, décadas, até que a sociedade haja avançado o suficiente para acolher o que lhe explico a seguir.

    Existe uma força extremamente poderosa para a qual a ciência não encontrou ainda uma explicação formal.

    É uma força que inclui e governa todas as outras, e que está inclusa dentro de qualquer fenômeno que atua no universo e que ainda não foi identificada por nós.

    Esta força universal é o Amor.

    Quando os cientistas buscam uma teoria unificada do universo, esquecem da mais invisível e poderosa das forças.
    O amor é luz, já que ilumina quem o dá e o recebe.
    O amor é gravidade porque faz com que umas pessoas sejam atraídas por outras.
    O amor é potencia, porque multiplica o melhor que temos e permite que a humanidade não se extinga no seu egoísmo cego.
    O amor revela e desvela. Por amor se vive e se morre.

    Esta força explica tudo e dá sentido em maiúscula à vida.

    Esta é a variável que temos evitado durante tempo demais, talvez porque o amor nos dá medo, já que é a única energia do universo que o ser humano não aprendeu a manobrar segundo seu bel prazer.

    Para dar visibilidade ao amor, fiz uma simples substituição na minha mais célebre equação. Si no lugar de E=mc² aceitamos que a energia necessária para sanar o mundo pode ser obtida através do amor multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado, chegaremos à conclusão de que o amor é a força mais poderosa que existe, porque não tem limite.

    Após o fracasso da humanidade no uso e controle das outras forças do universo que se voltaram contra nós, é urgente que nos alimentemos de outro tipo de energia.

    Se quisermos que nossa espécie sobreviva, se nos propusermos encontrar um sentido à vida, se desejarmos salvar o mundo e que cada ser sinta que nele habita, o amor é a única e última resposta.

    Talvez ainda não estejamos preparados para fabricar uma bomba de amor, um artefato bastante potente para destruir todo o ódio, o egoísmo e a avareza que assolam o planeta.
    Porém, cada indivíduo leva no seu Interior , um pequeno mas poderoso gerador de amor cuja energia espera ser liberada.

    Quando aprendermos a dar e receber esta energia universal, querida Lieserl, comprovaremos que o amor tudo vence, tudo transcende e tudo pode, porque o amor é a quintessência da vida.

    Lamento profundamente não ter sabido expressar o que abriga meu coração, que há batido silenciosamente por você toda minha vida.

    Talvez seja tarde demais para pedir-lhe perdão, mas como o tempo é relativo, preciso dizer-lhe que a amo e que graças a você, cheguei à ultima resposta.

    Seu pai,
    Albert Einstein ”
    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/a-potencia-do-amor-por-einstein/#ixzz4QBDMH700

  12. A FÉ HUMANA E A DIVINA

    No homem, a fé é o sentimento inato de seus destinos futuros; é a consciência que ele tem das faculdades imensas depositadas em gérmen no seu íntimo, a princípio em estado latente, e que lhe cumpre fazer que desabrochem e cresçam pela ação da sua vontade.
    Até ao presente, a fé não foi compreendida senão pelo lado religioso, porque o Cristo a exalçou como poderosa alavanca e porque o têm considerado apenas como chefe de uma religião. Entretanto, o Cristo, que operou milagres materiais, mostrou, por esses milagres mesmos, o que pode o homem, quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que essa vontade pode obter satisfação. Também os apóstolos não operaram milagres, seguindo-lhe o exemplo? Ora, que eram esses milagres, senão efeitos naturais, cujas causas os homens de então desconheciam, mas que, hoje, em grande parte se explicam e que pelo estudo do Espiritismo e do Magnetismo se tornarão completamente compreensíveis?
    A fé é humana ou divina, conforme o homem aplica suas faculdades à satisfação das necessidades terrenas, ou das suas aspirações celestiais e futuras. O homem de gênio, que se lança à realização de algum grande empreendimento, triunfa, se tem fé, porque sente em si que pode e há de chegar ao fim colimado, certeza que lhe faculta imensa força. O homem de bem que, crente em seu futuro celeste, deseja encher de belas e nobres ações a sua existência, haure na sua fé, na certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda aí se operam milagres de caridade, de devotamento e de abnegação. Enfim, com a fé, não há maus pendures que se não chegue a vencer.
    O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.
    Repito: a fé é humana e divina. Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar ao que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas. Um Espírito Protetor.(Paris, l863.)

    KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB. Capítulo 19. Item 12.
    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER – 06.11.2016

  13. TUDO DEPENDE DE NÓS
    O pensamento é energia que irradia por todo nosso corpo físico. É como uma usina distribuindo energia pela cidade a fora. Portanto, nós somos o que pensamos. Através do pensamento podemos trazer para nós, tanto a saúde como a enfermidade, dependendo da qualidade do pensamento, que são as energias boas ou más com que envolvemos nosso físico.
    Assim entendemos que tudo depende de nós. Toda enfermidade do corpo inicia-se na mente, a região do pensamento. Por ser a mente a região onde o pensamento atua, e o pensamento pertencendo ao espírito, dizemos que a enfermidade inicia no espírito, transmitindo-se ao corpo. É assim que se diz mente sã corpo são.
    O cérebro é o órgão onde o pensamento atua. E sendo o espírito que pensa automaticamente ele espírito está mais ligado ao cérebro, irradiando por todo físico. Portanto, o pensamento é a força eletromagnética do espírito. É assim que dizemos que o pensamento é a maior força que possuímos. É assim que em todas nossas realizações é o espírito que pensa primeiro, para depois o corpo que é a ferramenta, ou seja, o instrumento de trabalho do espírito que realiza o trabalho material.
    É assim que vamos gradativamente adquirindo nossa evolução individual ou coletiva em nosso planeta Terra. Depois que realizarmos todo trabalho necessário a nossa evolução aqui, passaremos para outros mundos realizando o progresso, que se faz necessário ali, a fim de atingirmos nossa evolução espiritual. Foi por isso que Jesus nos disse, na Casa de meu Pai há muitas moradas de acordo com o grau de evolução de cada filho seu.
    Dessa forma ele também nos disse nada se perde na Casa de meu Pai e todos retardatários terão novas oportunidades. É como o aluno repetente na escola que se submete a nova prova, até atingir o grau supremo, afim de que todos um dia poderemos estar com Ele na eternidade, foi assim que Jesus nos disse eu vou preparar-lhes o lugar, afim de que onde eu estiver todos vocês possam estar também!
    Que Jesus nos abençoe hoje e sempre.
    Graças a Deus.
    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER -27-03-2016 – ADDE

    VAMOS TRABALHAR NO INFERNO?

    VIVA JESUS!

    Bom-dia! queridos irmãos.

    O convite é sério, embora possa não parecer. Você irá entender após a história que vou narrar com as minhas palavras e que pertence à literatura espírita. Vamos lá.

    Conta-se que um Espírito chegou às elevadas esferas da espiritualidade para adentrar as regiões celestiais dos bem-aventurados, da qual ele se fizera merecedor, segundo os seus cálculos. Vestia-se com uma túnica branca resplandecente de luz. De tão elevado se apresentava que os seus pés não tocavam o chão, volitava.

    Dirigiu-se ao Emissário divino responsável por aquelas paragens celestiais e solicitou a permissão para entrar naquele local de bonança indescritível. O emissário, porém, de olhar arguto e com longa experiência, disse ao postulante àquelas paragens de luz que antes precisava fazer algumas perguntas a ele para confirmar o direito ao qual se julgava merecedor. O candidato à felicidade indescritível não se fez de rogado e colocou-se à disposição das indagações a ele endereçadas.

    Perguntou-lhe então, o Emissário, se ele tinha incorporado as grandezas do amor, e a resposta foi afirmativa. Em seguida foi-lhe perguntado sobre o dom da sabedoria que também recebeu a mesma resposta. Indagado sobre o exercício da caridade e da paciência, o candidato confirmou suas experiências. Sobre a fé não havia nenhuma dúvida, ele sempre confiara na Providência Divina. No combate aos vícios, o postulante não deixava nada a desejar.
    Entretanto, ao Emissário divino, algo estava errado com aquele candidato ao paraíso. Num momento de inspiração fez uma pergunta muito direta ao interessado: você, meu irmão, que se veste de roupas muito alvas, por acaso já trabalhou no inferno?

    “Como?!” – indignou-se ele. “Então eu poderia ter trabalhado em tal lugar e manter-me na pureza em que me apresento nessa ocasião?!”.

    O Emissário divino percebeu que tinha acertado na mosca! Incontinente respondeu à indignação daquele Espírito: “Meu irmão, Jesus, o lírio de Deus, trabalhou junto ao inferno moral da Humanidade, e da Terra partiu sem nenhuma mácula! Seremos nós melhores do que Ele?”

    Mas não se dando por satisfeito, completou: “O sol, todos os dias, apesar de estar a uma distância de 150 milhões de quilômetros, lança seus raios aos mais infectos pântanos da vida sem macular-se! Por que haveríamos nós de nos comprometermos por trabalhar no inferno dos homens necessitados de nossos préstimos?”

    E continuou a esclarecer: “É isso que está faltando para você adquirir o direito a regiões celestiais. Quem conhece o amor, precisa descer ao planeta para amar aos semelhantes, mesmo que tal decisão represente trabalhar no inferno! Quem possui a sabedoria, precisa descer ao inferno da ignorância para ensinar os que sabem menos! Quem possui a fé sólida, precisa socorrer aos aflitos do mundo no inferno da incredulidade em que vivem. Por isso, meu amigo, é preciso descer ao inferno daqueles que estão em situação piores do que a nossa e socorrer sempre! Boa viagem de regresso!”

    Por isso que no início fiz o convite para trabalharmos no inferno. Não sei quanto a você que me lê, mas já ouvi muitas vezes as seguintes frases: “Não aguento mais o inferno dessa vida! Essa mulher é um verdadeiro inferno que me acompanha! Não sei onde estava com a cabeça para casar com o inferno desse homem! Esses filhos são um inferno a trazer-me problemas para resolver! Nesse emprego parece que vivo em um inferno! Esse patrão existe para fazer da minha vida um inferno!”

    Ora, se é trabalhando no inferno que nos candidatamos às regiões elevadas da espiritualidade, vamos aproveitar se já estamos nele!
    Sua esposa, seu marido, seu emprego, seus filhos, seu patrão, seus parentes se constituem em inferno para você? Ótimo! Estamos tendo a oportunidade de galgar nossos degraus para regiões felizes onde moram a felicidade e a paz verdadeiras.

    Se você, de alguma forma, sente-se no inferno em qualquer lugar onde a Providência Divina o colocou na atual existência, e, se ela nunca se engana, agarre a oportunidade com as duas mãos. Está aí o convite para você se fazer merecedor de regiões elevadas da espiritualidade superior. Se for bem-sucedido poderá apresentar-se ao Emissário divino que irá liberar sua entrada aos páramos de luz!

    Curta seu inferno meu amigo, ele é o prenúncio do céu!

    Ricardo Orestes Forni
    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/vamos-trabalhar-no-inferno/#ixzz4QYjKOik1

  14. HOMEM, SER HUMANO POUCO HUMANIZADO

    VIVA JESUS!

    Bom-dia! queridos irmãos.

    Para que possamos discorrer sobre esse assunto é necessário que se entenda que o Fanatismo religioso é uma forma de fanatismo caracterizada pela devoção incondicional, exaltada e completamente isenta de espírito crítico; enfocamos que não estamos aqui direcionando esse texto para essa ou aquela religião, e sim pela crença deturbada e exagerada de fieis a determinadas religiões.

    Destacamos que religião seria uma maneira para nos religarmos com o Criador de quem, no passado, nos desligamos quando Adão e Eva, e, após sua expulsão do Paraíso transmitiram para toda a sua descendência a carga de sua falta.

    Todavia, o fanatismo em crenças sempre causou embate desde a pré-história, onde nessa época foi denominada “Religião pré-histórica”[1]; pesquisadores convergem que possivelmente as primeiras religiões foram elaboradas pelos politeístas[2] mais especificamente o paganismo , com os adoradores de Semíramis[3], Ninrode[4] e Tamuz[5].

    Já nessa época havia as conquistas, e a ação mais comum era a de destruir os totens, locais de cultos, símbolos de crenças ; tais religiões, a princípio, eram compostas de deuses cruéis.
    Desde sempre o Homem, usando de influencia politica e da fé irracional, impõem sua crueldade defendendo a bandeira de sua crença, assim foi a trama e morte de Jesus elaborada pelos Fariseus e Saduceus, ou com as “Cruzadas”[6], que tiveram oito inserções que decorreram a partir de 1096 até 1270, também houve a “Guerra dos 30 anos” (1618-1648)[7], a “Reforma Protestante” que teve seu início do século XVI que deflagrou a sangrenta “Noite de são Bartolomeu”[8] em 1572, que possivelmente chegou a 70.000 vitimas conforme Maximilien de Béthune, duque de Sully.

    Essas guerras são habilmente explanadas em “O livro dos Espíritos” , onde dentro do Capitulo VI (lei de Destruição) da 3 Parte ( a que disserta Leis Morais) Itens 671 e 742 a 745.

    Destacamos:

    1) O fanatismo e a motivação religiosa das guerras representam a ligação entre espíritos encarnados e desencarnados , sendo esses últimos impelem àqueles ao conflito; não prosperam pois as justificativas fundadas em Deus ou em sua palavra para o cometimento de violências . (671)

    2) São decorrentes da predominância animal sobre espiritual e do transbordamento de paixões.( 742)

    3) Servem para a liberdade e progresso sociais mesmo que presente, temporariamente escravidão. (744/745) Sempre que eclode uma nova guerra, percebe-se a presença do mal, não como “entidade “ ou força espiritual independente, mas como exacerbação e a exteriorização de sentimentos peculiares ao homem ainda bastante animalizado, e com vícios e tendências inferiores.

    Sob esse prisma entendemos os ataques de “terroristas Islâmicos”[9], onde os três itens acima descritos dão completa compreensão da selvageria e intentos dos terroristas.

    Nos dias de hoje, embates devido ao fanatismo religioso ocorrem em diversas regiões do mundo, podemos citar exemplos como: os Xiitas X Sunitas, os Judeus X Mulçumanos, Muçulmanos e não muçulmanos, Budistas e Mulçumanos, e etc.

    Existem também dentro do contexto de fanatismo religioso seitas que incentivam a morte de seus fiéis, sob essa abordagem destacamos o “Massacre de Jonestown” onde em 1978 o reverendo Jim Jones[10] liderando a seita Templo dos Povos levou mais de 900 pessoas a cometerem suicídio coletivo.
    Alguns anos depois, o professor de música Marshall Applewhite (1931/1997), líder da seita Porta do Paraíso, deixou registrados em vídeo os detalhes da estranha viagem que ele e mais 38 membros da seita fariam em 1997. Quando a fita chegou às mãos de seu destinatário, um ex-participante da seita, já era tarde. No dia 26 de março, a polícia invadiu a rica mansão dos fanáticos, em San Diego, Califórnia, e viu os corpos já em estado de putrefação. Segundo a mensagem, todos tinham partido para uma nave espacial próxima ao cometa Hale-Bopp[11], visível aos terráqueos somente a cada 4.200 anos.

    Em 1999, Joseph Kibwetere, fundador do Movimento para Restauração dos Dez Mandamentos, conseguiu convencer os fieis da seita de que o fim do mundo estava próximo e reuniu os adeptos na igreja. Após horas trancados dentro da capela se deixaram queimar, ou foram queimados, em um incêndio proposital… Morreram mais de quinhentas pessoas.

    Essas insanidades embasadas por uma fé pouco racional, são a causa de tanto desiquilíbrio em nosso planeta. Encontramos no ESE[ii] uma frase que define essa ideia:

    “Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade.”[12]

    Emmanuel através de Chico Xavier na obra “O Consolador”[iii] nos ensina :

    “Ter fé é guardar no coração a luminosa certeza em Deus, certeza que ultrapassou o âmbito da crença religiosa, fazendo o coração repousar numa energia constante de realização divina da personalidade. Conseguir a fé é alcançar a possibilidade de não mais dizer eu creio, mas afirmar eu sei, com todos os valores da razão, tocados pela luz do sentimento.”[13]
    [1] Religião pré-histórica: período histórico que antecede a invenção da escrita, evento que marca o começo dos tempos históricos registrados, e que ocorreu aproximadamente em 4.000 a.C..

    Também pode ser contextualizada para um determinado povo ou nação como o período da história desse povo ou nação sobre o qual não haja documentos escritos.

    [2] Politeísmo: crença em vários deuses.

    [3] SEMÍRAMIS foi uma rainha mitológica que segundo as lendas gregas e lendas persas reinou sobre a Pérsia, Assíria, Armênia, Arábia, Egito e toda a Ásia, durante mais de 42 anos, foi fundadora da Babilônia e de seus jardins suspensos. Subiu ao céu transformada em pomba, após entregar a coroa ao seu filho, Tamuz.

    [4] NIMROD (também grafado Ninrode ou Nemrod) é um personagem bíblico descrito como o primeiro poderoso na terra (Génesis 10:8; 1 Crónicas 1:10). Filho de Cush, que era filho de Cam, que era filho de Noé.

    [5] TAMUZ ou DUMUZI era uma antiga divindade suméria. era um deus dos sumérios conhecido como Dumuzi e pelos egípcios como Osíris. Tamuz tinha como companheira Asterote, a rainha do céu –

    [6] CRUZADAS foram tropas ocidentais enviadas à Palestina para recuperarem a liberdade de acesso dos cristãos à Jerusalém. A guerra pela Terra Santa, que durou do século XI ao XIV, foi iniciada logo após o domínio dos turcos seljúcidas sobre esta região considerada sagrada para os cristãos.

    [7] Guerra dos 30 anos denominação genérica de uma série de guerras que diversas nações europeias travaram entre si a partir de 1618, especialmente na Alemanha, por motivos variados: rivalidades religiosas, dinásticas, territoriais e comerciais.

    [8] Noite de São Bartolomeu, foi um episódio da historia da França na repressão aos protestantes na França pelos reis franceses, que eram católicos.

    [9] Terrorismo islâmico : também conhecido como terrorismo islamita ou terrorismo jihadista, é uma forma de terrorismo religioso cometida por extremistas islâmicos com o propósito de atingir variadas metas políticas e/ou religiosas.
    [10] James Warren “Jim” Jones (1931-1978) líder de seita estadunidense e fundador da igreja Templo dos Povos (Peoples Temple).

    [11] Hale-Bopp, ou C/1995 O1, foi um dos maiores cometas observados no século XX. Pôde ser contemplado a olho nu durante 18 meses.

    [12] O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. 9, item 7.

    [13] O Consolador, perg. 354.

    KARDEC, Allan. Livro dos Espíritos. Ed. FEB. Rio de Janeiro. 2002

    [ii] KARDEC, Allan. O Evangelho segundo Espiritismo. Tradução de J. Herculano Pires. Ed. Lake. São Paulo 2003.

    [iii] XAVIER, Francisco Cândido. O Consolador. Ed. FEB. Rio de Janeiro. 2000

    Marcos Paterra

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/homem-ser-humano-pouco-humanizado/#ixzz4Sd5xktGo

  15. CONTATO IMEDIAO COM O NOSSO SEMELHANTE

    Questão 768: (…) 0 homem, procurando a sociedade, não faz senão obedecer a um
    sentimento pessoal, ou há também nesse sentimento um objetivo providencial mais geral?

    Resposta: 0 homem deve progredir, mas sozinho ele não o pode fazer, porque
    não tem todas as faculdades; é-lhe preciso o contato dos outros homens.
    No isolamento, ele se embrutece e se debilita.
    Allan Kardec, em “O Livro dos Espíritos”, questão n°. 768.

    Em tese, pode-se afirmar que a “vida sustenta a vida” através dos relacionamentos. A vida é um fato, e conviver é uma necessidade inevitável.

    Ponderando a respeito da inexistência da morte, entende-se que sempre, “no corpo ou fora dele”, pelas forças naturais que regem a própria vida, o Espírito necessita conviver com outros seres, já que se trata de uma imposição da lei de Sociedade. O objetivo, obviamente, é fazê-lo progredir.

    Considerando que cada ser é único, a convivência torna-se essencial para o crescimento (evolução) espiritual de cada um.

    Sabemos que a finalidade precípua da vida é aprender a amar; em meio a deveres e direitos, compromissos familiares e sociais, o objetivo primordial da reencarnação é desenvolver, em nós mesmos, esse nobre sentimento denominado Amor. Porém, convém indagarmos:
    • Já sabemos amar?
    • Sabemos quais caminhos trilhar para galgar tal “empreitada”?
    • Sabemos por que muitos não conseguem amar?
    • E sabemos o que é amor incondicional?

    Para facilitar o entendimento de tema tão relevante, propomos a seguinte reflexão:

    • Em qualquer construção, seja ela uma mansão, um casebre ou um edifício, há algo que é fundamental. O que seria?

    A resposta é simples: o alicerce, base de toda construção, independentemente do tamanho ou fim a que se propõe.

    Fazendo uma comparação simbólica, poderíamos afirmar que todos nós, que estamos atualmente reencarnados, recebemos a incumbência de “construir dentro de nós” um belíssimo “edifício” chamado Amor. Entretanto, muitos de nós passamos uma encarnação inteira sem lograrmos o êxito de “erguer” sequer os primeiros andares desse “edifício” – ou mesmo construir o alicerce. Inevitavelmente, em profundo desalento, o indivíduo indaga:

    • Por que eu não consigo amar ?

    Generalizar a resposta seria um equívoco; no entanto, podemos considerar que uma das razões é que muitos se aventuram a tentar construir o “edifício do amor” esquecidos de que se faz necessário, primeiro, construir a base do edifício, o alicerce.

    Qual seria o “alicerce do amor”?
    O alicerce do Amor chama-se Afeto.

    O Afeto é a base do Amor. Isso significa que antes de termos a pretensão de amar alguém, necessitamos aprender, em primeiro lugar, a gostar desse alguém.

    Dizer-se cristão e espírita sem aprender a gostar das pessoas é uma incongruência.

    Àqueles que afirmam que, por mais que se esforcem, têm dificuldade de desenvolver Afeto pelas pessoas ou que o Afeto ofertado é quase inexpressivo, responderemos que isso ocorre porque o Afeto também tem um alicerce.

    • E qual seria o alicerce do Afeto?

    A “boa convivência” é o alicerce do Afeto. Talvez esteja exatamente aí o grande desafio dos dirigentes espíritas na atualidade: criar mecanismos na Instituição que possam auxiliar os trabalhadores a aprenderem a convivência pacífica. Desentendimentos, melindres e animosidades criam brechas para a infiltração de Espíritos trevosos. Creio que o “sucesso” ou o “fracasso” de um Grupo Espírita não está exatamente nas técnicas ali aplicadas. O êxito ou a derrota estão intimamente ligados ao bom ou mau relacionamento dos integrantes do grupo.

    Alguém ainda poderá questionar:

    • E se eu tiver dificuldade em me relacionar, o que estará faltando ?
    Estará faltando o “alicerce da boa convivência” que se chama Sensibilidade. É preciso que tenhamos Sensibilidade para perceber o outro “por detrás” do corpo físico.
    Quando Jesus contemplou Zaqueu, que havia subido em um sicômoro para vê-lo, graças a sua sensibilidade, ele não enxergou um cobrador de impostos, mas, sim, uma alma aflita desejosa de modificar-se. Isto é Sensibilidade.

    Em resumo:

    Amor = Edifício
    Sensibilidade + Boa Convivência + Afeto = AMOR

    Na condição de espíritas e cristãos, temos que aprender a eliminar do nosso vocabulário expressões como:

    • Não suporto fulano.
    • Beltrano é inconveniente
    • Trabalhar no mesmo grupo que Sicrano é impossível.
    • Fulano não me desce ou não o engulo.

    Com todo respeito ao livre-arbítrio de cada um, afirmo o seguinte: ou aprendemos a nos relacionar ou acabaremos por invalidar nossas obras beneméritas.

    Procuremos enternecer os nossos relacionamentos, olhando nos olhos das pessoas e sendo o mais transparente e sincero possível.
    • Façamos o que propõe o Espírito José Lázaro: um Contato Imediato com nosso semelhante.

    (Extraído do livro Contato Imediato. Ditado pelo Espírito José Lázaro e psicografado por Agnaldo Paviani.)

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/contato-imediato-com-o-nsemelhante/#ixzz4WcJoo5Aa

  16. ELES QUEREM FALAR CONOSCO
    VIVA JESUS!

    Boa-noite! queridos irmãos.

    Reportando à questão 55 de O Livro dos Espíritos, encontraremos: Todos os globos que circulam no espaço são habitados? – Sim e o homem terreno está bem longe de ser, como acredita, o primeiro em inteligência, bondade e perfeição. Há, entretanto, homens que se julgam espíritos completos na evolução e imaginam que só este pequeno globo tem o privilégio de ser habitado por seres racionais. Orgulho e vaidade! Creem que Deus criou o Universo somente para eles.
    Comentário de Kardec: “Deus povoou os mundos de seres vivos, e todos concorrem para o objetivo final da Providência. Acreditar que os seres vivos estejam limitados apenas ao ponto que habitamos no Universo seria pôr em dúvida a sabedoria de Deus, que nada fez de inútil e deve ter destinado esses mundos a um fim mais sério do que o de alegrar os nossos olhos. Nada, aliás, nem na posição, no volume ou na constituição física da Terra, pode razoavelmente levar-nos à suposição de que tenha o privilégio de ser habitada, com exclusão de tantos milhares de mundos semelhantes”.
    Essa questão nos remonta à ciência, notadamente à Astronomia em suas buscas atuais. Será que ela já detectou algo que nos leve a verificar algum fenômeno de tentativa de contato entre seres de outros mundos conosco? Afinal, segundo André Luiz no livro Evolução em Dois Mundos, as galáxias podem ser comparadas a grandes cidades siderais e a nossa Via Láctea é uma delas, uma grande cidade onde habitamos a sua periferia e isto já comprovado pela ciência moderna. Ora, se somos concidadãos galáxios é bem provável que os mais adiantados tentem alguma espécie de comunicação conosco, principalmente neste Sistema Solar que habitamos. Somos vizinhos próximos, afinal! Mas essas comunicações também podem vir de longe, muito longe.
    Bem, até que ponto isso pode ser realidade ou fantasia? Vamos aos fatos: eis o que encontramos em um site de pesquisas científicas: “Segundo estudo, um número considerável de estrelas estaria enviando mensagens aos terráqueos por meio de pulsos de luz constantes”. Um grupo de cientistas franco-canadenses está pesquisando certos sinais enviados a partir de estrelas. Esta informação foi publicada na Revista Exame de outubro último. De acordo com a publicação, foram analisados 2,5 milhões de estrelas catalogadas na base de dados do Sloan Digital Sky Survey, o mais ambicioso levantamento astronômico em andamento na atualidade. Dessas, 234 estão emitindo pulsos de luz separadas por um intervalo de tempo constante, o que pode ser uma tentativa de comunicação extraterrestre.
    Ermanno Borra é um dos pesquisadores. Segundo ele os pulsos têm exatamente a forma de um sinal ETI (sigla em inglês para inteligência extraterrestre). E, para contrapor, deixando o lado puramente especulativo e fantasioso, temos a sensata observação publicada na Astronomy Magazine, revista mensal dos Estados Unidos, que diz o seguinte: “Um trabalho cuidadoso deve ser feito para determinar taxas de falsos positivos, para descartar explicações naturais e instrumentais, e mais importante, para confirmar as detecções usando dois ou telescópios mais independentes”, diz um comunicado assinado pelo Breakthrough Listen – uma iniciativa para procurar vida extraterrestre, que conta com apoio de Mark Zuckerberg e Stephen Hawking”.
    Gradativamente a ciência se aproxima dos ditos pelos Espíritos Superiores responsáveis pela formatação da Codificação Kardequiana. Em O Evangelho segundo o Espiritismo, capítulo III, item 16, Santo Agostinho comenta “Cada turbilhão planetário girando no espaço em torno de um centro comum arrasta consigo mundos primitivos, de provas, de regeneração e de felicidade”. Depreende-se daí que essas comunidades tendem a se aproximar através de algum tipo de comunicação, afinal somos todos filhos de um mesmo Pai com a proposta da união fraternal. Num futuro certamente que os mais adiantados nos auxiliarão mais diretamente, passando lições que nos ajudem a alavancar nossos progressos individuais e coletivos.
    Quando criança conheci certo vovô Dinaro que em todas as tardes, após seu intenso labor na agricultura, reunia nós, as crianças daquele tempo, e começava a nos contar histórias sobre o céu, as estrelas e os seres que as habitam. Em nossa cidade natal o céu noturno era de um esplendor indizível porque longe das poluições dos grandes centros urbanos. Certa vez o vovô Dinaro me chamou e disse:
    – Um dia você vai escrever muitas coisas. Então não deixe de dizer isto: Em cada estrela Deus colocou uma quantidade muito grande de pessoas. Elas estão felizes porque já entendem a vontade do nosso Pai e nós aqui neste pequeno mundo somos infelizes ainda porque as mensagens dele, do Pai, não têm ainda nenhum valor para a maioria dos que moram nesta casa que chamam de Terra. É preciso, desde já, procurar os caminhos das estrelas e encontrar os moradores de lá. E a felicidade deles é tanta que se lá for, não se tem vontade de voltar.
    Depois daquela tarde passei a observar melhor o vovô Dinaro. Cientista? Profeta? Teólogo? Agricultor? Viajor das Estrelas? Não sei. O que sei é que aos poucos aquelas informações dos idos da metade do século passado estão se confirmando pela ciência e pela Doutrina Espírita.
    Será que valem mesmo as insanas informações daqueles que nada pesquisam e que apenas “acham” que isto ou aquilo pode ou não ser uma verdade? Boa pergunta. E vemos que os campos da ciência estão abertos, basta penetrá-los.

    Guaraci de Lima Silveira

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/eles-querem-falar-conosco/#ixzz4Wb0bTg5w

  17. (JR.32.6) VEIO A MIM A PALAVRA DO SENHOR, DIZENDO: (PV.3.1) FILHO MEU, NÃO TE ESQUEÇAS DOS MEUS ENSINOS, E O TEU CORAÇÃO GUARDE OS MEUS MANDAMENTOS: (SL.91.16) SACIA-LO-EI COM LONGEVIDADE, E LHE MOSTRAREI A MINHA SALVAÇÃO: (AR.7.1) E É PRA JÁ:

    SALVAÇÃO OU EVOLUÇÃO?
    VIVA JESUS!

    Boa-noite! queridos irmãos.

    “É assim que tudo serve, que tudo se encadeia na Natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, que também começou por ser átomo.”
    Todos nós, Espíritos imortais, ao sermos criados, partimos de um mesmo ponto, recebendo como herança a capacidade de progredir, em medida absolutamente igual, em consonância com a indefectível justiça de Deus. Ao longo dos milênios sucessivos, através do esforço evolutivo individual, vamos revelando a luz divina que trazemos dentro de nós, conforme se depreende da recomendação de Jesus: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens ”. 2

    Jesus não teria feito essa recomendação se não soubesse da existência dessa herança divina imanente em todos os seres, cantada com o nome de amor pelo poeta:

    “O amor em nós, certo existe desde o nosso alvorecer,
    remontando a priscas eras, no esboço do nosso ser.

    Em estado de latência, no dealbar da existência,Deus concede de antemão, a sua herança bendita,que a alma busca contrita nas asas da evolução”.3

    A exteriorização mais ou menos intensa dessa herança divina que trazemos é que nos torna diferentes uns dos outros. Só dentro de uma perspectiva evolutiva é que podemos ver um silvícola feroz e um Francisco de Assis como filhos de um mesmo Deus justo, pois o que diferencia esses dois Espíritos não é a sua natureza, a sua origem, mas, apenas, evolução. As diferenças individuais se originam no homem, não em Deus.

    A evolução do Espírito se efetiva através de inúmeras vidas sucessivas, que lhe oferecem oportunidades variadas de incorporar em si as experiências que o meio lhe propicia, num processo que se pode chamar de desenvolvimento da inteligência e das virtudes que lhe são imanentes. Essa visão da evolução do Espírito é muito clara no Espiritismo.

    Em outras religiões reencarnacionistas, a reencarnação é vista apenas como oportunidade de os Espíritos faltosos retornarem à Terra a fim de reparar seus erros ou de concluir aquilo que deixaram inacabado. Admitem, também, a reencarnação de Espíritos mais adiantados, que retornam ao mundo físico em missão, para ensinar o caminho do Bem. Essas religiões não têm a perspectiva evolutiva.

    O Espiritismo não nega essas duas situações, indo, todavia, mais além, ensinando que não se reencarna só em missão ou resgate, mas que a reencarnação é absolutamente necessária, indistintamente, a todos os Espíritos, por ser inerente ao processo evolutivo.

    Portanto, a reparação de faltas anteriormente cometidas não é vista como punição, mas como elemento essencial da escalada evolutiva rumo à perfeição, a que todos estamos sujeitos. Igualmente, no desempenho de missão sacrificial, o Espírito Superior que a leva a efeito não está fora do processo evolutivo, porque também ele está progredindo, embora nada deva à Terra, tendo o seu retorno sido motivado apenas pelo amor.
    No Espiritismo, a reencarnação ocupa lugar de destaque, constituindo-se num dos pilares básicos de toda sua estrutura doutrinária, contrapondo-se frontalmente à tese salvacionista, ensinada por outros setores do Cristianismo. Em verdade, a respeito de salvação, o Espiritismo vai muito além de outras religiões, pois ao nos ensinar que não existem penas eternas, leva-nos a concluir que todos estamos salvos, porque somos cidadãos do Universo, filhos amados de Deus, habitantes da “Casa do Pai”, conforme ensinou Jesus.

    Em verdade, o Mestre nunca apresentou soluções mágicas de salvação gratuita, com base apenas na fé. Pelo contrário, suas lições sempre foram no sentido de acordar a criatura para a necessidade de assumir sua vida, tomando em suas mãos as rédeas do seu próprio destino: “ renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. 4

    São muitas as recomendações do Mestre no sentido de a criatura despertar para a necessidade de progredir: “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei o bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem” e, mais adiante, continua a recomendação: “Sede, pois, vós outros, perfeitos, como perfeito é o vosso Pai celestial”. 6

    E por ser uma doutrina eminentemente evolucionista e não salvacionista é que o Espiritismo prioriza a oração consciente, o estudo, a reflexão, obediente à recomendação do Espírito da Verdade: “Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo”.

    Assim, se bem atentarmos para a amplitude e profundidade dos ensinamentos de Jesus, veremos que, em última análise, seus ensinamentos se constituem numa ampla proposta de aperfeiçoamento do Espírito, num chamamento ao esforço individual, que não pode ser desenvolvido numa só vida. Por isso, quem medita sobre os ensinamentos e exemplos de Jesus encara o Evangelho não como um livro sagrado que deva ser lido de mãos cruzadas sobre o peito em atitude de reverência, mas o vê como um manual de evolução do Espírito, que traça um roteiro de luz, a ser seguido ao longo de milênios sucessivos.
    Referências:
    1 – O Livro dos Espíritos, item 540.
    2 – Mateus, cap. 5, vers. 16. 3 – José Soares Cardoso (Acordes Espirituais).
    4 – Mateus, cap. 16, vers. 24.
    5 – Mateus, cap. 5, vers. 44.
    6 – Mateus, cap. 5, vers. 48.
    7 – O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. 6, item 5.

    José Passini
    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/salvacao-ou-evolucao/#ixzz4OO3dxVEJ

    EVOLUIMOS QUANDO SUPERAMOS OBSTÁCULOS

    “A felicidade não é deste mundo.” (Eclesiastes.)

    O progresso intelectual e moral de cada criatura não acontece sem que haja uma grande dose de boa vontade, representada pelo esforço na superação de desafios, barreiras e obstáculos.

    É um engano pensar que essas urgentes e imprescindíveis conquistas possam nos chegar às mãos de forma gratuita, como um presente dos “céus”.

    A natureza, em toda a sua dimensão, tem dado frequentes exemplos, ao homem, de como atua, em seus mais variados seguimentos, objetivando alcançar os objetivos a que se propõe.

    O rio caudaloso, desejando cumprir sua meta, contorna obstáculos, se projeta em quedas livres, carrega em seu leito material de toda ordem, mas não abandona o propósito traçado.

    A semente vigorosa, para chegar a árvore e se carregar de frutos, visando cobrir a nossa mesa de alimento, não reclama da cova escura e úmida onde começa o seu legado de utilidade.

    A chuva abençoada após cair límpida do espaço não lamenta sua transformação em lama, para regar o solo e criar condições para a continuidade da vida na Terra.

    De nossa parte, assim também precisamos agir. Sem desafios, sem dificuldades e sem esforços jamais sairemos da condição pouco evoluída que ainda ostentamos.

    A vida sendo pródiga – junto com a Providência Divina – no contexto da imensa sabedoria, sempre nos situa, no mundo, com as condições e mecanismos necessários para que tenhamos todos os recursos à disposição, visando à nossa tão desejada evolução espiritual, que obviamente pressupõe o crescimento moral e intelectual, essas duas asas que nos permitirão o voo da evolução. Portanto, os desafios que se apresentam em nossa vida na condição de dificuldades a serem superadas, em realidade, são ferramentas que nos chegam às mãos. Trabalhar com elas com todo o empenho possível, sem reclamações e inconformismos, é o que devemos e precisamos fazer.
    Ninguém, obviamente, em sã consciência, enfrentará os percalços e as lutas dessa vida achando tudo muito bonito e prazeroso, como o aluno que na sala de aula fica apreensivo com a chegada da nova lição, mas tendo a maturidade devida e a consciência de que podemos superar as mais ferrenhas barreiras. Munidos de ideal, perseverança e alta dose de determinação, nada poderá impedir nosso sucesso.

    Diante ainda da condição evolutiva que abrigamos, talvez por inexperiência ou mesmo por falta de compreensão mais acurada, preferimos a vida fácil, descuidada e vivida sem tantos compromissos e responsabilidades. No entanto, tal postura, que muitos de nós adotamos, praticamente nos mantém sempre no mesmo lugar, sem avanços significativos na trilha da nossa evolução espiritual.

    Assim, não lamentemos os desafios e os obstáculos que nos chegam. Dentro do possível façamos o máximo esforço para vencê-los, pois que, a cada vitória obtida, a cada dificuldade superada, aumentamos a nossa estrutura espiritual e, com isso, vamos nos aproximando, mesmo que lentamente, da serenidade que desejamos.

    Como bem expressa o Eclesiastes: “a felicidade não é deste mundo”, mas laborando com dedicação e sempre fiéis às valiosas e inesquecíveis lições de Jesus Cristo, que sabiamente nos orientam pelos caminhos, agindo com acerto começaremos, aqui mesmo na Terra, a usufruir um pouco mais de paz e tranquilidade.

    Tenhamos sempre fé e confiemos totalmente nas ações seguras e prestativas da Providência Divina em nosso favor. Em momento algum estamos sozinhos, pois tudo que está ao nosso redor tem o aval de Deus.

    Meditemos…

    Waldenir Aparecido Cuin

    Forum Espírita

  18. A ESPIRITUALIDADE PODE TRANSFORMAR O MUNDO?

    VIVA JESUS!

    Bom-dia! queridos irmãos.

    Em maio do ano passado realizou-se na cidade de Manchester, Inglaterra, a 4ª Conferência Internacional da Associação Britânica para o Estudo da Espiritualidade. O tema central foi o título do presente artigo. Vale ressaltar que os principais trabalhos foram posteriormente publicados no volume 6 (2ª edição) de 2016 do Journal for the Study of Spirituality.
    É extremamente promissor notar que esse tema vem sendo gradualmente investigado pela comunidade acadêmica mundial. No Brasil, o esforço nessa esfera particular vem sendo capitaneado principalmente pelo Jornal de Estudos Espíritas e a Revista Ciência Espírita.
    Voltando ao tópico principal da conferência, não temos dúvida quanto ao potencial transformador do tema. Há certamente muito a ser explorado não apenas em termos de saúde, bem-estar, religião, secularização, questões metodológicas e formas de conhecimento, conforme divisão formulada pelos organizadores, mas sobretudo em termos de conhecimento libertador.
    É mais do que chegado o momento da humanidade descobrir a sua origem e encetar novos caminhos rumo à sua elevação e progresso espiritual. Diante dos quadros tenebrosos que se desenrolam quase que diuturnamente em todas as partes do orbe produzindo sofrimentos e imagens lancinantes, é imperioso nos conectarmos com a consciência cósmica. Desse modo, por intermédio de Jesus, “o caminho, a verdade e a vida” e “a luz do mundo”, podemos reunir as forças e disposições necessárias ao enfrentamento do bom combate.
    Como enfatiza o Espírito Joanna de Ângelis, na obra Oferenda (psicografia de Divaldo P. Franco): “O mundo clama por novos Franciscos de Assis e Mohandas Gandhi, mas também por palavras de orientação e consolo que possam diminuir as angústias e acalmar as almas”. Nesse sentido, é pertinente esclarecer que não se trata de transformar imediatamente a nossa conduta ao nível comportamental de um santo, mas de iniciar um processo efetivo na direção de aquisição de virtudes.
    Ao abraçar esse objetivo não podemos, por outro lado, esperar facilidades de espécie alguma. As agruras e asperezas da estrada produzirão muitas cicatrizes e dores – tenhamos certeza disso. Afinal, essa é a moradia abençoada que fizemos por merecer.
    No entanto, o conhecimento da continuidade da vida na espiritualidade, com o obrigatório enfrentamento das consequências derivadas da existência pregressa na dimensão material, tem o poder de transformar a criatura humana rumo ao bem e à felicidade plena. Como também pondera o Espírito Joanna de Ângelis, na obra Vida: Desafios e Soluções (psicografia de Divaldo P. Franco): “A humanidade em geral vive em estado de sono, em letargo, e, por isso mesmo, padece da enfermidade mais dominadora, que é a ignorância de si, da destinação de cada um, do significado da existência”.
    Mas ao se descobrir como filho de Deus (exercício penoso, mas igualmente depurador), o indivíduo passa a se modificar não mais aceitando os maus alvitres, não mais resvalando em torpezas e espetáculos dantescos, não mais protagonizando ações desastrosas e/ou lesivas aos irmãos de jornada. Não mais acumula tesouros perecíveis que podem lhe ser subtraídos a qualquer instante por força das circunstâncias.
    Ao tomar tais deliberações emerge daí, portanto, um ser em ascensão. Ademais, a oportunidade para a autoiluminação é sempre significativa, já que “Há muita sombra no mundo, aguardando um raio de luz que sirva de sinal de esperança apontando rumos”, segundo igualmente observa o Espírito Joanna de Ângelis, na obra Atitudes Renovadas (psicografia de Divaldo P. Franco).
    Não tenho nenhuma réstia de dúvida de que há um poder transformador incomensurável derivado do conhecimento das coisas do espírito. Assim sendo, o desafio colocado é o de aceitar as responsabilidades daí inerentes e iniciar a mudança.

    Anselmo Ferreira Vasconcelos

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/a-espiritualidade-pode-transformar-o-mundo/#ixzz4Z2t66XEt

  19. A NOVA MULHER

    VIVA JESUS!

    Boa-tarde! queridos irmãos.

    “Fortificai os fracos, mostrando-lhes a bondade de Deus, que leva em conta o menor arrependimento”. ¹

    Se agora é tarde? Digamos que sim. Se você já fez o aborto, não há como voltar atrás. No entanto, não se desespere. Todos nós erramos aqui ou ali, nesta ou naquela situação da vida.

    Tomar decisão equivocada é próprio do ser humano; e o aborto é, sem dúvida, uma opção precipitada que não resolve problemas, ao contrário. Ilude-se completamente quem entende que abortando estará livre. Na maioria dos casos, senão em todos, a mulher, após abortar, defronta-se com sequelas emocionais de superior gravidade, além das queixas físicas que surgem, mais cedo ou mais tarde. Assim como se propõe ressocialização ao detento infrator das leis civis, é humano que se proponha educação moral àquela que escolheu abortar. Diria melhor se dissesse a “aqueles”, pois quase nunca a escolha é unilateral.

    O homem participa, muitas vezes, impondo tortura moral à mulher, que acaba cedendo à sombria sugestão. Não sei se é o seu caso, mas independentemente do fato de você ter repelido seu filho por via tão impensada e cruel, quero pedir que não faça mais isso. Nunca mais! Agora, recomponha suas ideias, desanuvie seus pensamentos, abra a fisionomia, pois sei que está angustiada, sofrendo. Volta e meia você se lembra em detalhes de como tudo aconteceu, não estou certo? Isso comprime seu peito e sem explicação você chora muito. Acho que compreendo seu estado psicológico. Em verdade, rompeu-se um elo da cadeia natural da vida. Cortou-se o fio que dava oportunidade a alguém que, a essa hora, deve estar meio perdido, confuso. Afinal, todos querem viver, pois a vida é avanço, recomeço, embora muita gente não saiba disso ainda.

    Estou sensibilizado com o seu drama. Por isso falo a você, como irmão. Do passado, aproveite só as lições. Olhe para frente com propostas novas. Se quiser ser feliz, terá que mudar e perceber que a vida é feita de escolhas. Tudo o que escolhermos estará ligado, de alguma forma, a outras pessoas.

    Isso nos impõe muita responsabilidade. Cada ação, concreta ou virtual, tem consequências que ninguém assumirá por nós. Não censuro, não! Apenas avalio a situação, vista do seu lado, mulher. Longe estou de conhecer o seu drama íntimo, mas ouso dizer que, tenha os lances que tiver, estes não justificam o seu ato de abandono. Seu filho abortado é vítima. Não nos esqueçamos dele. Mas você, mulher, mais que algoz, também é vítima. Seu ato está entremeado de ignorância e cegueira espiritual. Você é infeliz, mas não se deixará abater, não é mesmo?! Transformará sua vida? Doravante pensará mais no outro, menos em si? Recuperará o tempo perdido, idealizando construir um futuro renovado? Tentará reconciliar-se com aquele a quem rejeitou, orando com sincero e profundo arrependimento? Não se entregará ao remorso culposo e improdutivo? Será esforçada para cuidar do próprio espírito? Trabalhará sem descanso para alcançar a misericórdia divina?

    Não vai ser fácil. Este é o preço a pagar por delito tão grave. O que está feito, feito está. Agora é tarde, mas não o suficiente para impedir o recomeço da nova mulher. Você vai recomeçar, não vai?!

    ¹ O Evangelho segundo o Espiritismo, capítulo X, sobre a Indulgência, Espírito João, bispo de Bordeaux.

    (Crônica do livro Um sorriso como resposta, Mythos editora, 2011.)

    Claudio Bueno da Silva

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/a-nova-mulher/#ixzz46qTPZ7bz

  20. BELEZAS SIDERAIS

    VIVA JESUS!

    Bom-dia! queridos irmãos.

    “Não procures Deus nos templos de pedra e de mármore, ó homem que quer conhecê-lo, mas no templo eterno da Natureza, no espetáculo dos mundos que percorrem o Infinito, nos esplendores da vida que se desabrocha na sua superfície”. Este texto é de Léon Denis e o retiramos do capítulo 1 da sua Obra: O Grande Enigma. Naquele livro o grande filósofo espírita deixa extravasar toda a sua gratidão a Deus e, para tanto, cita as grandes maravilhas da natureza, a partir da Terra, indo além até os orbes que rolam pelo Universo. Uma verdadeira sonata, um verdadeiro cântico de ternura à criação divina.

    Mais à frente ele dirá: “… tudo revela e manifesta tua presença. Tudo o que na Natureza e na Humanidade canta e celebra o amor, a beleza, a perfeição, tudo que vive e respira é uma mensagem de Deus. As forças grandiosas que animam o Universo proclamam a realidade da Inteligência Divina; ao lado delas, a majestade de Deus se manifesta na História, pela ação das grandes almas que, semelhantes a ondas imensas, trazem às margens terrestres todas as potências da obra de sabedoria e de amor”.
    Gradativamente a ciência nos vai desvendando essa beleza. Através dos seus telescópios, observações e conclusões colocam-nos frente a frente com o belo inusitado que permeia toda a Obra de Deus. E vamos encontrar no belo trabalho de Edward Bell, diretor de arte da revista Scientific American, páginas de rara beleza, onde ele e Ron Miller, ilustrador, nos convidam a um passeio pelo Sistema Solar para apreciarmos oito maravilhas que se encontram bem próximas de nós e que as veremos, certamente, quando deixarmos para trás as temíveis garras do orgulho e do egoísmo que nos prendem de tal modo ao ego inferior que não conseguimos sequer olhar à frente e imaginar o que existe além da linha do horizonte.

    E eles iniciam citando os Anéis de Saturno. E comentam: “Você está cruzando a troposfera de Saturno sob a mais magnífica estrutura de anéis do Sistema Solar. Poucos lugares são mais surpreendentes. O brilho dos anéis ilumina tudo ao seu redor”. À frente, citam A Mancha Vermelha de Júpiter: “É difícil para um viajante apreender o enorme tamanho do maior anticiclone do Sistema Solar”. Ela possui movimentos de extraordinária magnitude que encantam e ao mesmo tempo excitam nossa curiosidade, e perguntamos: Qual a sua finalidade? Ah tempos vindouros… A seguir veremos os Vales Marineris de Marte. Eles dizem: “Há pessoas que caem de joelhos e choram ao contemplar o Grand Canyon, no Arizona. O que fará o primeiro viajante aos Vales Marineris ao vislumbrar esse desfiladeiro? Seis quilômetros e meio de profundidade e tão largo que “… em alguns lugares alguém teria que se esforçar para ver o outro lado. Cobriria a distância de Nova York a Califórnia”.

    E o passeio continua; adiante encontram-se os Gêiseres de Encélado. Gêiseres são buracos que liberam fortes jatos de água quente e vapor de dentro da terra e só acontecem em áreas com vulcões ativos. Encélado é o sexto maior satélite de Saturno. “Duas gigantescas plumas de gelo explodem na superfície de Encélado, expelindo cristais de gelo no espaço, a mais de 1.600 km/h”. Uma apoteose exuberante de luzes e sons. Existem também os Gêiseres de Tritão, que é o maior satélite natural de Netuno. São de aparência esfumaçada e colorida, formados provavelmente por cristais de nitrogênio, ejetando seus materiais a mais de 8.000 metros, na fina atmosfera de Netuno. Continuando nesta aventura sideral, vamos encontrar Os Picos da Luz Eterna. Está bem perto de nós, na nossa Lua, e é uma região única no Sistema Solar onde o Sol nunca se põe. Possível pela leve inclinação do eixo de rotação da Lua, relativamente ao plano de sua órbita em torno da Terra e relativamente ao plano da Terra em torno do Sol. Parece um caminho iluminado onde os deuses da mitologia devem fazer suas moradas para expiar, lá de cima, como andam os humanos aqui da Terra!
    Também é citada a Cratera Herschel em Mimas, uma lua de Saturno. Um aventureiro que por lá passasse poderia se perguntar: “Como Mimas sobreviveu ao impacto que formou essa depressão a 13 km de extensão, o que é quase um terço do diâmetro do Satélite?” Perguntas, segredos, mistérios… Como necessitamos evoluir para entender essa gigantesca Obra do Criador! E olha que estamos apenas citando algumas efemérides do nosso Sistema Planetário e existem bilhões deles só na nossa Galáxia! Para concluir, os autores do artigo citam O Nascer do Sol em Mercúrio. São espetáculos gigantescos. O Sol lá é visto duas vezes e meia o tamanho que o vemos daqui. Sua órbita é muito elíptica e daí o sol nasce e se põe duas vezes durante o dia de Mercúrio. O Sol nasce, cruza o céu e retorna para o horizonte de nascimento para só aí recomeçar sua jornada em direção ao horizonte poente.

    E é aqui, e para encerrarmos, que novamente citaremos Léon Denis em seu livro: O Grande Enigma. Diz ele: “É a ti, ó Potência Suprema! Qualquer que seja o nome que te deem e por mais imperfeitamente que sejas compreendida; é a ti, fonte eterna da vida, da beleza, da harmonia, que se elevam nossas aspirações, nossa confiança, nosso amor!”.

    É preciso que deixemos tanto neons que alimentam nossas ilusões para penetrarmos mais fundo na casa onde residimos. Comumente nos alimentamos de vazios prazeres que necessitam ser renovados a cada dia sob pena de cairmos em vazios existenciais que certamente nos prenderão ao fundo do poço. Não. Não precisamos nada disto. Somos almas infinitas a caminho. Somos Espíritos dinâmicos adquirindo e acumulando informações. Somos dínamos do amor que nalgum momento explodirá de nós tornando-nos seres de consciências aladas e refúgios da divindade superior.

    Eis o Universo! Aparentemente fora de nós, está na verdade dentro de nós, de cada um de nós! Funciona como um estímulo às nossas procuras. Aqueles que já despertaram para esse fato consultam os compêndios da Astronomia em busca do si, fora de si para retornar a si e encontrá-lo. E quando o encontram, tornarem-se mais belos, e daí para a singularidade do amor com Deus será questão de tempo e aprimoramentos. Assemelha-se ao garimpeiro que vê na bateia o diamante preciso e que se tornará um brilhante após sua justa e necessária lapidação.
    Mas, para tanto, ele se tornou e se forjou um garimpeiro. Abandonou por um tempo o mundo de confusas relações para buscar algo que o tornasse diferenciado, rico, próspero e respeitado. E, encontrando, faz-se portador dos mistérios divinos escondidos nas profundezas da terra, da sua terra espiritual.

    Benditos sejam os construtores siderais que, em construindo essas maravilhas, colocam à tona de si as belezas escondidas em suas essências de Deus. Quiçá, todos os terráqueos comecem a pensar de forma diferente e, ao invés de garimpar bijuterias baratas, iniciem desde já os processos dos seus ajustes, apertando as fivelas das emoções e extravasando a razão a fim de viajarem pelo Universo adentro, em busca de outras moradas e belezas incomuns lá existentes. Pois sabemos que o que está fora está dentro, basta saber propor e procurar.

    Guaraci de Lima Silveira

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/belezas-siderais/#ixzz4hFs3ynoT

  21. DEPRESSÃO OU OBSSESSÃO?

    VIVA JESUS!

    Bom-dia! queridos irmãos.

    É um transtorno do humor, com baixa da atividade geral, levando ao sofrimento íntimo profundo, desesperança, falta de fé em Deus, em si próprio e na vida. A ciência médica ainda não tem, claramente, o conhecimento da origem da depressão. Fala-se em distúrbios dos neurotransmissores a nível do sistema nervoso central, de herança genética de pressão social, frustrações, perdas precoces importantes e outras mais; porém, embora todas as possibilidades acima sejam verdadeiras como desencadeadoras, não explicam porque alguns indivíduos, sofrendo as mesmas contingências, não desenvolvem um quadro depressivo. Todas as possibilidades acima são efeitos e não causas.

    A causa da depressão vige na alma e não somente no corpo físico. O conflito do deprimido remonta a causas pretéritas, provavelmente longínquas, com repercussão no presente. O cerne da questão liga-se a não identificação do amor divino e da paternidade do Criador. Por isso a rebeldia tão comum no deprimido.
    Revolta-se contra as leis, desdenha a própria vida, não concordando em ter sido criado, vai com facilidade ao suicídio (10 a 15% dos deprimidos se suicidará . Num ato de rebeldia extrema tentam devolver a própria vida ao Criador.

    Adão e Eva não representam um simples mito, mas sim a dura trajetória da humanidade.

    O deprimido apresenta duas características: – egoísmo e agressividade.

    Egoísmo por crer que sua dor é a maior do mundo e agressividade voltada principalmente contra si próprio. Não pensam que seus atos irão fazer sofrer os que vão ficar.

    A essência da existência é o elo Criador-criatura, Pai-filho. A ruptura deste elo pelo deprimido suicida é extremamente sofrida, pois, talvez, repete o desligamento havido outrora, quando da separação Pai e filho. Por isso as perdas precoces falam alto ao coração do deprimido.

    Entendemos que a primeira queda forma um clichê mental na vida do espírito, de modo que haveria uma tendência neurótica à repetição do mesmo erro durante as futuras reencarnações.

    Estão incitas no perispirito as matrizes da depressão. O corpo físico reflete o corpo espiritual. Se o reencarnante traz insculpido no seu psicossoma as matrizes da depressão, elas influenciarão ativamente na seleção genética dos elementos que poderão viabilizá-la na vida física, caso o interessado deseje. Doenças são efeitos e não causas.

    Assim podemos ,de maneira geral, dizer que a não identificação do Amor Divino e do Pai, leva à falta de fé, e esta à insegurança que desperta o egoísmo (como defesa). As excrescências do egoísmo são a vaidade, orgulho, inveja, revolta. E observando, vamos encontrar como ponto central da mente dos encarnados uma destas excrescências como núcleo motor da personalidade. Se for a rebeldia , a tendência pode ser a depressão. A taxa de prevalência é de 7 a 17 % e o gene participante é dominante e deve encontrar-se no cromossoma 11, embora haja uma tendência entre os geneticistas em aceitar como mais provável uma interação poligênica.
    TRATAMENTO:

    O tratamento deverá ser abrangente, holístico. Para efeito didático, diremos: – médico, psicológico, social e principalmente espiritual. O tratamento médico é imprescindível na fase crítica. O uso de antidepressivos é decisivo para restabelecer a fase aguda.

    Sabe-se que alguns neurotransmissores estão envolvidos na depressão, tais como: noroadrenalina , serotonina , dopamina e outros. O uso dos antidepressivos estabelece a harmonia químico cerebral, melhorando o humor do paciente . Cuidam simplesmente do efeito, pois os medicamentos não curam a depressão; provavelmente restabelecem o trânsito das mensagens neuroniais, melhorando o funcionamento neuroquímico do SNC (sistema nervoso central).

    A parte orgânica também tem que ser cuidada, em especial quando muito acometida. De maneira geral, melhorando o humor, todo o organismo tende a melhorar. Há que ter muito cuidado com os processos depressivos, porque várias afeções mórbidas costumam ganhar expressão no organismo após ou concomitantemente a uma depressão, pois o sistema imunológico é profundamente afetado por ela. O tratamento psicológico ganha importância pelo fato de auxiliar no auto-conhecimento, nas resoluções de conflitos e tomada de posição diante dos problemas.

    A orientação social é necessária em especial naquela porcentagem de deprimidos (20%) que apresentam seqüelas profissionais após várias crises. Perdem EMPREGOS , família e consideração social, entrando num círculo vicioso agravante de seu problema. O tratamento espiritual é importantíssimo porque o ” espírito é o fundamento da vida”. Quando não valorizamos o tratamento espiritual, os resultados costumam ser precários, as recidivas constantes, com uma tendência ao envelhecimento precoce.
    Sintetizando, diríamos que com a aquisição do livre-arbítrio, o ser adquiriu o sagrado direito da condução do seu destino. Para que isto ocorresse dentro do espírito de justiça que norteia o cosmos, ele não poderá ser influenciado pelo atavismo biológico e psicológico nas suas primeiras decisões . Não seria justo condenar a quem teve por contingências evolutivas , matar para viver, na cadeia predatória da vida.

    O conhecimento não nos exime das tendências adquiridas nos processos evolutivos.

    “Contra nossos anseios de luz, há milênios de trevas”. Por isso, um dia alhures, quando da primeira opção consciente o espírito tinha que ser livre de qualquer influenciação pretérita, para que possamos falar de livre-arbítrio.

    O grande percalço foi não ter identificado a paternidade Divina, o Amor de seu Pai. Porque uns identificaram e outros não, ainda não sabemos. Por isso a falta de fé está na raiz dos males da humanidade . Diz o evangelho que a fé é a mãe das virtudes, o caminho da redenção. “Que aquele que tem fé acredita mais em seu Criador que em si mesmo.

    “Como dissemos anteriormente, a falta de fé levou a insegurança, esta despertou o egoísmo (como defesa) , esta suas excrescências: orgulho, inveja, vaidade. revolta, movido por um destes sentimentos o espírito em evolução na terra optou criando o carma em sua existência. Esta primeira opção criou um clichê mental que passou a influenciar suas futuras decisões. No deprimido encontramos uma revolta contra o seu Criador.

    Dr. Jaider Rodrigues de Paula – PSIQUIATRA / AMEMG

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/psicologia-espiritismo/depressao-ou-obsessao/#ixzz4irJ8j3i8

  22. O BANQUETE DOS PUBLICANOS

    VIVA JESUS!

    Bom-dia! queridos irmãos.

    Jesus penetrava com facilidade na problemática de cada ser, pois conhecia as causas que dificultam a existência terrena. Conseguia ver além do que a pessoa procurava mostrar, vislumbrando os seus conflitos; conhecia a origem dos desequilíbrios emocionais, porque sabia que cada homem é a soma de múltiplas existências vividas.
    Não ignorava que a causa dos acontecimentos, na vida física e social, está pautada nas escolhas que o homem fez e faz, em cada instante da sua vida. Jesus entendia que os humildes e conflituosos necessitavam dele muito mais que os poderosos que, por sua arrogância e empáfia, não necessitavam, como não necessitam, ainda hoje, do alimento espiritual que vinha nos trazer. Até porque não entenderiam o significado das Suas mensagens, pois se movimentam num mundo de ilusões.
    Na verdade, o Mestre agia como psicoterapeuta na preservação de doenças do corpo e da alma, ensinando ao homem a vivência da saúde integral, oferecendo, também, a cura com o objetivo de levar ao usufruto das bênçãos que estão ao alcance dos homens que as queiram vivenciar. A mensagem de Jesus dirigia-se, assim, como ainda hoje acontece, aos enfermos da alma cujos corpos, por consequência, permanecem doentes.
    E o mais importante nos ensinamentos é que eles vieram curar a alma de forma permanente, pois, ao praticá-los, superamos, eliminamos os elementos causadores dos distúrbios físicos, emocionais e morais que nos assombram a existência.
    Passamos, assim, de pacientes a médicos de nós mesmos na cura definitiva das nossas mazelas, provocadas pela preguiça, ociosidade, maledicência, queixumes constates, crueldade, prepotência e tantas outras imperfeições e viciações que alimentamos e reforçamos durante a nossa vida terrena. “Trazendo a toda Humanidade a proposta psicoterapeuta preventiva, através da qual seria possível a vivência da saúde integral, oferecia também a curadora, de modo que todos pudessem desfrutar das bênçãos que estão ao alcance de quem as queira vivenciar.”
    Jesus nunca usou de hipocrisia ou de atitudes de medo e, por isso, convidou-nos a não reter a luz do esclarecimento somente para nós. Proclamou a necessidade de sermos sinceros e autênticos mediante uma proposta de escolha moral, convidando-nos, através dessas balizas, a uma postura sem subterfúgios, diante das quais a coragem da fé se torna patente porque temos segurança dos objetivos a serem alcançados. Passamos a agir sem titubeios, sem incertezas, atitudes tão comuns nas atividades imediatistas de consumo, não importando época ou local em que se viva.
    A passagem evangélica que serve de reflexão para nós, na qual Jesus se reúne aos publicanos – homens que coletavam os impostos e que eram considerados pecadores pelos sacerdotes – para um banquete, mostra-nos o Mestre preocupado em abraçar a todos aqueles que necessitavam de auxílio.
    De forma elucidativa, Emmanuel coloca a importância desse banquete com os publicanos, lembrando que esse fato não foi percebido em toda sua significação, de maneira geral, pela comunidade cristã em seus diversos setores.
    Diz-nos o respeitável orientador espiritual que a última ceia com os discípulos íntimos revestiu-se de singular importância, por ter sido um momento de despedida afetuosa dos amigos de apostolado e de sublimes lições. Entretanto, “é necessário recordar que o Mestre atendia a esse círculo em derradeiro lugar, porquanto já se havia banqueteado carinhosamente com os publicanos e pecadores. Partilhava a ceia com os discípulos, num dia de alta vibração religiosa, mas comungara o júbilo daqueles que viviam à distância da fé, reunindo-os, generoso, e conferindo-lhes os bens nascidos de seu amor”.
    Por isso, quando os grandes, aqueles que se achavam isentos de pecados, como eles próprios afirmavam, perguntaram aos discípulos por que Jesus comia com os pecadores, o Divino Amigo respondeu que “os sãos não precisam de médicos”, confirmando, com isso, sua condição de médico das almas.

    Bibliografia:

    1 – KARDEC, Allan – O Evangelho segundo o Espiritismo.
    2 – XAVIER, F. C. – Caminho Verdade e Vida, ditado pelo Espírito Emmanuel – FEB Editora.
    3 – Fonte Viva, ditado pelo Espírito Emmanuel – FEB Editora.
    4 – MATEUS, 9: 10-12.
    5 – FRANCO, Divaldo Pereira – Jesus e o Evangelho à luz da psicologia profunda, ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis – Editora Leal – Salvador/BA, p. 202.

    Leda Maria Flaborea

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/o-banquete-dos-publicanos/#ixzz4ir8hUoTl

  23. ADOLESCER

    VIVA JESUS!

    Bom-dia! queridos irmãos.

    Antigamente se pensava que o cérebro do adolescente era como que um órgão adulto imaturo, daí as causas de suas alternâncias constantes de humor e comportamentos em grupo ou isoladamente. Contudo, estudos recentes de imagem por ressonância magnética mostram que nessa fase ocorrem mutabilidades e crescimentos de atividades em redes em diferentes regiões cerebrais. O sistema límbico responsável por estimular emoções intensifica seu desenvolvimento na puberdade, mas o córtex pré-frontal, que controla impulsos, só começa a amadurecer dez anos depois. Isso pode causar ao adolescente sérios riscos ao mesmo tempo em que se adaptam mais facilmente aos ambientes que frequentam. Daí que a sociedade deve se ajustar perante os meninos e meninas, objetivando auxiliá-los nas buscas do que desejam estudar e ser.
    A neurociência tem concluído que o cérebro do adolescente foi moldado pela evolução para funcionar de forma diferente do de uma criança ou de um adulto. Adolescentes possuem uma capacidade incrível de mudar em resposta ao ambiente. Essa ação ou plasticidade especial pode constituir-se em uma faca de dois gumes porque permite ao adolescente muitos progressos no modo de pensar e socializar, mas a mutação constante também pode expô-los a comportamentos perigosos e graves transtornos mentais, como nos informa Jay Giedd, presidente da divisão de psiquiatria infantil e adolescente da Universidade da Califórnia em San Diego, Estados Unidos.
    Walter Barcelos em seu livro: Sexo e Evolução, editado pela FEB em 2005, vem-nos dizer que: “O Espírito, ao sair da fase infantil e penetrar na adolescência, passa a apresentar mudanças bruscas e imprevisíveis no seu comportamento, em virtude do fardo de estímulos sexuais que já carrega em si mesmo como herança de si próprio, oriunda de séculos de experiência”.
    Aqui é importante verificar como a ciência e o Espiritismo se unem para compreender essa questão. Ora, como vimos acima, a ciência estuda o cérebro, e nosso irmão Walter Barcelos vai à causa mostrando a origem quando nos diz sobre experiências acumuladas de existências pregressas e que a Psicologia Analítica chama de Inconsciente.
    Diz-nos o doutor Christian Dunker, da USP, que “o adolescente tem à sua frente a difícil tarefa de amar um objeto indeterminado, escolher alguém ou algo assim como uma profissão, um contexto, um projeto. E ele ainda terá que amar e ser amado, mas da forma diferente como fazia quando era criança”. Viverá a ruptura de objetos transacionais como a colcha preferida, o brinquedo que o embalava, o travesseiro que o acolhia em suas noites infantis. Tudo isso agora será perdido uma vez que sua infância lhe é finda. Conclui dizendo que: “De certa forma o adolescente tem essa mesma sensação de inutilidade, vacuidade, indiferença do mundo para si e de si para o mundo”. Como podemos ver e sentir, adolescer não é tão fácil e tampouco remonta a inconsequências desastrosas. É, antes de tudo, um processo que a sociedade, a partir dos pais e familiares próximos, necessita pesquisar e entender. É bom colocar neste rol os educadores formais ou não, uma vez que o adolescente passará com eles grande parte de suas vidas como necessitados de suas presenças e informações.
    Acresce-se a isso que o Espírito é individual. Assim, numa casa onde se tem vários filhos, cada um deles responderá nessa fase, de acordo com sua individualidade e seus arquivos do inconsciente. Daí que Jesus disse a Zacarias de Jericó que: “Toda criança é um depósito de Deus”. É grave, mas os especialistas dizem que nessa fase quase sempre os pais costumam abandonar psicologicamente os filhos, deixando-os por conta da sorte, dos amigos, da escola e do social. Isto pode causar transtornos, pois que os seus pares podem estar sentindo a mesma sensação de abandono por parte dos pais ou da sociedade como um todo.
    “É, pois, indispensável que, no período juvenil, todos se permitam orientar pela experiência e maturidade dos pais e mestres, a fim de que os adolescentes transitem com segurança, não assumindo compromissos para os quais ainda não possuem resistência psicológica, moral e existencial”, conclui o Doutor Christian Dunker.
    Corroborando com o acima exposto, a mentora Joanna de Ângelis nos informa que:
    “O Espiritismo oferece ao jovem um projeto ideal de Vida, explicando-lhe o objetivo real da existência na qual se encontra mergulhado, ora vivendo no corpo e, depois, fora dele, como um todo que não pode ser dissociado, somente porque se apresenta em etapas diferentes. Explica-lhe que o Espírito é imortal e a viagem orgânica constitui-lhe recurso precioso de valorização do processo iluminativo, libertador e prazeroso”.
    Cabem aqui as reflexões contidas nas questões 209 e 210 de O Livro dos Espíritos, em que somos informados de que um mau Espírito pode pedir bons pais, na esperança de que seus conselhos o dirijam por uma senda melhor, e muitas vezes Deus o atende. E ainda que os pais não podem atrair para o corpo do filho apenas bons Espíritos, mas podem melhorar o Espírito da criança a que deram nascimento e que lhes foi confiada. Esse é o dever: filhos maus são uma prova para os pais. Eis a razão pela qual devemos levar nossas crianças para as Escolas de Evangelização.
    Quando a adolescência chegar, terão melhores condições de se resolverem uma vez que, como vimos, o período adolescente é de profunda transição, carecendo de recursos éticos, morais, ambientais e de muitos entendimentos daqueles que abrigam em suas casas e corações Espíritos encarnados passando por essa fase.

    Guaraci de Lima Silveira

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/psicologia-espiritismo/adolescer/#ixzz4jEVxsh1D

  24. DECODIFICANDO AS ESCRITURAS E CONSUMANDO AS PROFECIAS:

    (SL.27;6) AGORA, SERÁ EXALTADA A MINHA CABEÇA ACIMA DOS INIMIGOS QUE ME CERCAM; (SML.23.2) PORQUE O ESPÍRITO DO SENJOR FALA POR MEU INTERMÉDIO E A SUA PALAVRA ESTÁ NA MINHA LÍNGUA: (MT.7.23) ENTÃO, LHES DIREI EXPLICITAMENTE:

    FIM DA ASSOMBRAÇÃO DO 666 BIBLICO

    O SABER LER A SI:
    (ES.12.1)

    (AP.13.18) – AQUI ESTÁ A SABEDORIA: AQUELE QUE TEM ENTENDIMENTO CALCULE O NUMERO DA BESTA, POIS É NÚMERO DE HOMEM: ORA ESSE NÚMERO É SEISCENTOS E SESSENTA E SEIS: (AR.119.9)

    (ISRAEL é o nome do Homem que sabe LER A SI no Espírito Bíblico: Aqui o saber acaba com as cogitações infundadas que existiam acerca do número 666 do Apocalipse, pois o que está escondido nas 131 letras e 10 sinais que compõem o texto acima, é isto):

    ARNALDO RIBEIRO É ISRAEL: É O HOMEM QUE NASCEU NO CÉU, QUE AMA E SABE TESTAR AS ALMAS NO SEU NOME: E ELE ENTENDE QUE CRISTO TESTA DEUSES E DIABOS NESSE MESMO ESPÍRITO. (IL.131.7
    )

    SANTIFICANDO O SÈTIMO DIA

    (DN.4.2) Pareceu-me bem fazer conhecidos os sinais e maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo,; (EF.2.7) para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça em bondade para conosco em Cristo Jesus; (1CO.15.45) pois assim está escrito:

    GN.2.3) – E ABENÇOOU DEUS O DIA SÉTIMO, E O SANTIFICOU; PORQUE NELE DESCANSOU DE TODA A OBRA QUE, COMO CRIADOR, FIZERA: (AR.85.6)
    E o que o Senhor quer dizer com as 85 letras e 6 sinais acima é isto:

    SOU O ESPÍRITO QUE DESCEU DO CÉU, CRIANDO A SUA FÉ; E FAÇO SANTO O QUE É BATIZADO COM NOME DE ARNALDO RIBEIRO: (IL.85.6)
    (Lc.12.50 – Tenho, porém, um batismo com o qual hei de ser batizado; e quanto me angustio até que o mesmo se realize; (IS.21.16) porque assim me disse o Senhor: (1RS.18.31) Israel será o teu nome, (LS..9.6) porque ainda que algum seja consumado entre os filhos dos homens, se estiver ausente dele a tua sabedoria, será reputado como nada.(LC.4.21) Hoje se cumpriu a escritura que acabais de ouvir: (LC.6.5) O Filho do Homem é Senhor do sábado:
    E agora José? Ou melhor Chico?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s